a parte mais bonita

uma das partes mais difíceis desta aventura, já passou! informar o meu pai do que estava a pensar fazer! ufa...depois de meses a esconder, com medo que o neptuno do centro caísse abaixo da fonte, quando ele soubesse, eis que dou por mim a dizer-lhe porque, não podia passar nem mais um dia. não sei se por já estar habituado a estas decisões, se por ainda não se ter aproximado o tão esperado dia, pareceu-me calmo, ouviu com atenção e não me lembro de ter pronunciado nenhuma vez a palavra não contra esta viagem, a não ser para dizer que não concordava muito com estas coisas. aceitei de bom grado, claro. as pessoas podem não concordar e até criticar certas decisões, mas quando as respeitam, para mim é mais que suficiente. eis pois que, passados meses, uma coisa difícil, me pareceu tão fácil que dei por mim a perguntar-me porque andei eu tanto tempo com isto cá dentro, a corroer-me. assim, tudo ficou esclarecido! atirei razões, datas e trajectos para o ar, mesmo que em muitos casos não tenha a certeza, como referi. espero chegar daqui a istambul, na turquia, pelo norte e regressar pelo sul. 7 meses, penso, sair em maio e regressar em dezembro. passar cá o natal, estar com a minha família, os meus lindos cães, aproveitar 2 ou 3 meses para uns trabalhitos, escrever uns textos, pôr algumas coisas em dia, tentar arranjar apoios e, mais importante, preparar-me para a aventura seguinte que será...não sei. não quero pensar no futuro - disse eu. ele, o meu pai, não percebe, sei-o bem. deve pensar constantemente...onde foi o miúdo arranjar estas ideias? ninguém na família é assim. mas aceita, sei que aceita. e me apoia! aliás nisso, não tenho qualquer razão de queixa a nenhum nível. os meus pais, são mesmo pais a sério. pai e mãe com letra maiúscula (que só não uso aqui, pois este blog é feito por mim, que sou muito pequenino em relação ao mundo e por essa razão, espelho-me no tamanho das letras!) disse-me ele passados uns 10 minutos quando continuávamos a conversar - eu é que não tenho esse espírito de ir, assim, sozinho, senão...mas vou convencer um amigo a vir comigo. vou visitar o teu irmão aos açores. gostava de ir a cabo verde...isso - disse eu - é isso mesmo. e depois vens ter connosco, como aconteceu quando foste à índia! o meu pai. a minha mãe. o meu irmão. todos a fazer parte da nossa viagem, algures no mundo onde, se podermos partilhar nem que seja uma paisagem, será com toda a certeza a parte mais bonita desta aventura! venham!

Sem comentários:

Posts mais populares