hoje é o primeiro dia...

abrir os olhos às 7h30, acordou-nos para uma nova realidade. o dia da partida, há tanto tempo esperado, chegou. antes de sairmos da cama, um abraço entre os 4 – nós os dois e os nossos cães – foi inevitável. o rosnar do t (cão) fez-se ouvir, não mostrando grande vontade de ser amassado por razão qualquer! as lágrimas vieram aos olhos. será muito tempo sem que os nossos filhotes tenham notícias nossas. levantar da cama rapidamente e disfarçar as lágrimas com o banho do chuveiro, foi a solução encontrada. demos por nós a percorrer, mesmo que inconscientemente, as últimas vezes de muita coisa, durante este tempo imenso que nos levará. o último banho. a última abertura do frigorífico onde a minha mãe tem sempre umas uvas gigantes e rijas, super artificiais, mas deliciosas! o último pequeno-almoço. o último abrir do guarda-fatos. a última vez que se fecha a porta da rua. a última imagem do que tudo isto é. e saímos. pegamos nas bicicletas e, ainda a pé, subimos a rampa da garagem! tudo bem que vamos apanhar muitas subidas, mas quanto mais tarde…melhor! o sol está apagado pelas nuvens cinzentas. não vai chover, sabemos que não. mais cedo ou mais tarde, ele sorrirá! parte da minha família, já me espera na oficina do garfo – o restaurante que nos apoia nesta aventura – e ao chegar, reparamos que parte da família da tanya também decidiu fazer uma surpresa! salta a família para fora dos carros, chega o praça pública, abrem-se as portas do restaurante para um último café, cumprimentam-se pessoas, abraçam-se os filhotes pela última vez e pedimos desculpa pelo “abandono” – mesmo que tenhamos a certeza que serão tratados como rei e rainha pelos avós – tiramos fotos e a hora chega num instante. temos de nos fazer à estrada! hoje serão 40km somente, embora tenha algumas “etapas” de montanha! vamos até arouca, onde ficaremos alojados em casa dos familiares do senhor antónio, do café marisqueira, no furadouro! mais uns abraços aos pais, com os últimos agradecimentos pelo apoio imenso a esta aventura louca, irmãos e por aí em diante, num rol imenso de pessoas que, não fosse o emprego e a falta de coragem, viriam connosco! ovar, até já!

sabíamos, como já dissemos atrás, que o primeiro dia seria duro. nesta última semana não andámos nenhuma vez de bicicleta, nunca carregámos os atrelados tão pesados, nunca tínhamos ido, sem volta. de ovar, fomos directos a são vicente, cucujães, nogueira do cravo, carregosa e muito mais à frente, várzea, terra onde pernoitamos! o que se pode contar deste primeiro dia? foi um festival! as subidas pregaram-nos algumas partidas! além do já esperado desgaste, ainda não tínhamos feito 10km e já a corrente da minha bicicleta me tinha saltado 3 vezes! o resultado? as mãos que parecia vindo de áfrica, as unhas entranhadas como quem andou o dia inteiro a cavar terra e a paciência a aguentar-se! mas não ficámos por aqui…não! a fazer-se, faz-se em condições! o guiador estava meio desapertado, o que fazia com que a bicicleta tremesse toda! depois de todo este rol de opções indesejadas, o atrelado de carga ainda se lembrou de ir a fazer um som deveras irritante até chegar que decidi mentalizar-me que era normal, para bem dele. amanhã “falamos”! a bicicleta da tanya não quis ficar atrás, então também decidiu entrar em greve nas mudanças mais baixas. o bonito era que, no início de cada subida, tínhamos que parar para levantarmos a parte de trás da mesma, e rodarmos os pedais à mão! aí sim, a coisa ia! mas à mão? não seria suposto ser com os pés nos pedais? depois de em são joão da madeira termos tirado uma peça da bicicleta, pensando nós ser a razão das mudanças não entrarem, a tanya achou por bem utilizar uma técnica que misturava a força e o jeitinho e, sem outra alternativa, lá se decidiram a trabalhar!

pelo meio, e depois de fazer parte do caminho, a paisagem começa a mudar. as montanhas começam a aparecer, o verde toma conta de tudo e pedalar torna-se cada vez mais um prazer! muito lentamente, umas vezes por causa das subidas, outras por escolha nossa – fomos apreciando e gozando a viagem! parámos pelo meio para almoçar um alho francês com natas, delicioso, que tinha sobrado duma refeição anterior, acompanhado por água fresquinha! um pequeno jardim com uns banquinhos distribuídos e muito sol, encostados aos correios locais, pareceu-nos o local ideal para merendar. algumas pessoas apreciavam-nos de longe, sem nunca se terem aproximado. seremos bichos assim tão raros? sinceramente pensamos que, em portugal, infelizmente, ainda somos. recebemos algumas chamadas de pessoas que queriam saber onde estávamos, como estávamos, se estava a correr bem, a darem-nos força, a mostrarem a sua inveja! não estamos sozinhos! acabámos de almoçar e estávamos a fazer a “fotossíntese”, quando um automóvel para à nossa frente e de lá sai uma senhora que desconhecíamos e nos diz: “olá! são vocês que vão ficar em minha casa!” – ao que pergunto estupidamente: “como sabia que éramos nós?” – não sei se a resposta veio comprovar a natureza estúpida da minha pergunta, mas ainda se deu ao trabalho de me responder: “porque são os únicos ciclistas na zona!”. claro! a almoçar tipo piquenique, com cara de gringos na zona, com duas bicicletas todas apetrechadas…claro! a boa notícia foi que “ a partir daqui, será sempre a descer!” – santa senhora! foi um fartote de velocidade e descidas! tanto, que deu para tirar fotos, fazer vídeos, rir e fazer ultrapassagens a 40km/h! a paisagem era fantástica! quando chegámos, tínhamos à nossa espera uma família que nos recebeu de “braços abertos”. um quarto só para nós, toalhinhas lavadas, cama feita e muita simpatia! além de tudo, a vista a partir da casa é linda! poder-se-ia pedir mais?!

13 comentários:

joana disse...

ui já estão de viagem? Passou rápido!!! Então eu e o Ivo desejamos uma boa e nice viagem por esse mundo fora!
beijinhos

César Fernandes disse...

Finalmente os grandes aventureiros estão na estrada, desejo-vos uma excelente viagem, aproveitem (e sei que o vão fazer).
Não se esqueçam de nós, e continuem a dar notícias.
Vocês sabem que estamos cá todos a torcer por vós e a dar-vos apoio.

Só posso dizer mais uma coisa (mais uma vez) BOA VIAGEM

De Cabo a Cabo disse...

E aí está a estrada!
Vejo que o 1º dia foi em grande. Cheio de peripécias e muitas emoções.

Estarei a partir de hoje - mais que nunca - convosco nessa aventura.

Força e até amanhã!

Maria disse...

Ahahahah! Que dia divertido! É assim mesmo: as frustrações são nada, as vitórias são grandes e no final foi um dia que valeu a pena.
Mal posso esperar pelo relato do segundo dia!
Bjs.
Maria

Rui C. disse...

Ah heróis!

Força nas pedaleiras!

E já agora, como se encomenda o merchandising?

Sofia disse...

De ceteza que vai tudo correr bem! Força e espírito positivo! Boa sorte! Eu estarei deste lado a acompanhar a vossa viagem. :)

P.S. - obrigada pela resposta ao email.

familia Palma disse...

vamos força...já começou.

anitacanita disse...

Boa viageeeeem! Fico contente por saber que está tudo a correr bem :)

Gustavo disse...

Boa sorte para esta longa viagem!

Coragem nesta grande aventura porque o sonho comanda a vida...

Abraço do Gus.

ALEXANDRE ROSAS disse...

Eh eh... é bom saber que sabes mudar uma corrente. Fiquei mais aliviado... Eh Eh.
Continuem e divirtam-se (coordenadas pf). Alex

xistacio disse...

"como uma FOTÇA, como uma FORÇA, lai lai lai, q ninguem (nem as mudanças) pode parar!"
não te esqueças, conta tudo!
BOM CAMINHO!!!
ate jazz

ACTIVA- Serviço de Apoio Domicilário disse...

Pedalando de perto... Activamente Convosco!!!
Pois é... não será para todos a vontade de ir, ver, partilhar e dar de si...não, não é mesmo qualquer um que se lança à estrada, procurando tudo e nada, como se o tudo e o nada se misturassem num fenómeno monumental de prazer em descobrir.


Quando partiram estive lá, na linha da partida, era a terceira bicicleta que poucos viram, mas apresentava-me a postos para o grande dia, preparadíssimo para enviar a força toda que tenho para os vossos corações onde sabemos que vamos, todos os que se ligaram a vós nesta odisseia, como se aquela pedalada adicional fosse nossa, como se a ultrapassagem a 40 km/h fosse sentida nos nossos rostos ao vento...de tal forma conseguem transmitir o "desenho" da escalada da primeira etapa...


Entreguei-vos um desejo, uma vontade de viver essa liberdade e a possibilidade de espalhar em cada pedalada uma semente de esperança, em cada homem que encontrem, no sorriso de cada criança... o desejo de levarem na bagagem uma simples mensagem de amizade e confiança aos mais velhos e aos que não conseguem a autonomia nas suas tarefas básicas diárias...que o mundo seja tão sincero e mágico como os vossos olhares fitando-me nos olhos, ali à porta onde nos encontrámos...


Amigos, sigam em paz, continuem a acreditar que o mundo pode ser percorrido pelos sonhos e que estes podem "pintar" a cada curva, por mais violenta que possa parecer...estamos ao vosso lado na estrada, em cada aldeia, nesta espécie de cadeia que nos une apesar da distância, apesar de ter faltado aquele abraço na partida...mas que como sabem, vos acompanha nestes próximos meses da vossa vida pela Europa.


Xi - Coração!!!




Luis Filipe (Activa)

Troca Letras disse...

Uma grande e viagem, vou seguir tudo o que vão publicar neste Blogue
e para ser sincero estou como muita inveja de vocês os dois.
Adorava poder deixar tudo e ire viajar por ai com uma bicicleta, mas tenho muitas responsabilidades, incluindo 2 filhos e 2 cães a minha mulher uma empresa como grandes dificuldades económicas nesta altura.
Mas um dia. não sai quando. vou fazer uma grande viajem como vocês

Posts mais populares