o fim da holanda!

den haag, the hague ou ainda haia (como é pelos nossos lados mais conhecida) é a terceira maior cidade da holanda, centro do país, local onde se encontram a maior parte das embaixadas, os serviços que fazem o país mover-se e onde vive a rainha. com tudo isto, perguntamo-nos porque é que amesterdão é a capital? razões históricas, presumimos. o que nos levou até lá, mais do que ver a rainha - que não vimos, usufruir de alguma espécie de serviço - que não usufruimos ou ir até à praia - sim, confessamos que estivemos lá de papo para o ar, num dia de nevoeiro intenso (parolos!); foi encontrar amigos com quem não estavamos há algum tempo. o zé fernando, o joca, o renato, o joy e o celestino vivem todos nesta cidade, embora só tenhamos estado com 3 deles! nestas 3 noites que ali passamos, tentamos estar com eles a maior parte do tempo possível. não íamos com intenções de visitar muito a cidade, por isso o churrasco (para nós vegetariano!) que o zé fernando fez lá em casa, rodeado de amigos que foi fazendo ao longo dos anos na cidade; as horas passadas a conversar com o renato e o joca em casa; ou os poucos minutos em que estivemos com eles no concerto à borla que vimos dos vive la fête, foram fantásticos! a cidade é super activa e nesta altura do ano existem eventos por todo o lado: sejam festas que duram toda a noite, festivais de música, festivais de teatro, aos bares que promovem divertimento durante a semana toda, de dia e de noite! o ponto mais alto de toda esta programação cultural, foi termos assistido - como já mencionamos atrás - ao concerto do grupo belga vive la fête, constituído por danny mommens (baixista e teclista da banda deus até 2004) e a sua namorada els pynoo. vê-los ao vivo, é assistir a um concerto cheio de força, com muita electrónica e gritos, gentilmente cedidos pela vocalista que os interpreta divinamente! as festas sucediam-se, os festivais também, mas tivemos de ganhar coragem para pedalar até amesterdão!

chegados à capital holandesa, procuramos o casal que nos receberia nesse dia, e que nos daria alojamento por 3 noites. não só encontramos duas pessoas muito simpáticas e com quem partilhamos alguns bons momentos (infelizmente não passamos tanto tempo com eles como gostaríamos), mas também um apartamento de sonho! passamos a explicar! imaginem-se a parar a bicicleta porque, à vossa frente encontram um cais que, ao contrário de ter barcos, tem casas! é isso mesmo, casas onde vivem famílias, casas pousadas na água como se de barcos se tratassem. imaginem-se agora a cumprimentar as pessoas, a apresentarem-se ligeiramente, a tirarem tudo para fora das bicicletas e a verem ser aberta uma porta e dizerem: é aqui que vão ficar! esperamos que gostem. imaginem agora o que é olhar para dentro do apartamento e ver um espaço de 2 andares, em que na parte que entravamos havia a cozinha e a sala e, descendo as escadas (portanto a superfície que ficava submersa na água) encontravamos 2 quartos e casa de banho! agora para finalizar, imaginem que vos davam a chave para a mão e diziam que era só para vocês e que, depois de terem fechado a porta, tinham aberto a grande janela da sala e a água estava ali, à distância de um mergulho...sair e entrar pela janela e nadar, naquele canal imenso! foi esta a nossa casa em amesterdão! sorte ao mais alto nível! fora o termos usufruido tudo a que tínhamos direito na casa, pois parecia que estavamos a tirar férias dentro das férias, amesterdão mostrou ser uma cidade agradável, mas nada do outro mundo.

passamos 3 dias a stressar com a cidade. quem a vê do céu, pode reparar que é circundada e atravessada por imensos canais de água. o mais estranho para nós, é que não conseguimos encontrar nenhum ponto de referência. as ruas contornam os canais e por isso podemos estar na mesma rua, mas em lados opostos da cidade, visto que os canais contornam a cidade como um u. explicar é tão complicado como nos orientarmos dentro dela. ao fim de algumas horas, já estávamos fartos de tanto barulho, confusão e de nos perdermos constantemente ou, como aconteceu várias vezes, termos aparecido no mesmo sítio depois de imensas voltas dadas! o que atrai tantas pessoas a amesterdão? as drogas leves legalizadas e o fácil acesso a elas. quando se fala em amesterdão, é como falar de goa na índia, as pessoas pensam logo em festas e drogas. a nós isso não nos convence. não é suficiente. primeiro, porque não consumimos, depois porque achamos que o simples facto de podermos comprar e fumar marijuana ou haxixe em quase todo o lado sem que ninguém nos chateie, não é razão suficiente para viajarmos até amesterdão. a ideia de ver toda a gente a fumar charros nas espalanadas das coffeeshops, é engraçada ao princípio, para depois passar a ser banal.

outra coisa que poderá atrair muita gente em amesterdão, é o famoso red light district, uma quarteirão onde prostitutas se pavoneiam em montras viradas para a rua, em lingerie, tentando atrair clientes. esta é uma experiência estranha, confessamos. já em antuérpia haviamos passado por uma zona destas e ver mulheres em montras, quase despidas, é surreal ao princípio e depois faz-nos pensar no duro que deve ser para estes seres, estarem expostos daquela maneira, viradas para a rua, em roupa interior. mais bizarro é perceber que a maior parte delas não deve ter mais de 25 ou 26 anos e que o fazem por necessidade - só encontramos mesmo essa justificação - visto que grande parte das raparigas são muito bonitas e com um corpo fantástico, mas quase todas de leste, supomos. o que nos choca também, é ver o desrespeito que muitas pessoas têm por estas mulheres, não fazendo o mínimo esforço para as verem como seres humanos, usando-as e gozando como se de objectos se tratassem.

mas quando se fala de amesterdão fala-se também de comércio, museus e, claro está, bicicletas! podem ver-se filas e filas de pessoas que se acumulam à porta dos museus que, só de ver o preçário, se perde logo toda a vontade de entrar. escandaloso! pessoas que se passeiam de barco pelos canais, alguns em autênticas embarcações de luxo, outras nos mais pequenos barquitos, que mais parecem jangadas! famílias que habitam em barcos ao longo dos canais, uns de um tamanho absurdamente grande, outras em pequenas casas de madeira flutuantes. bicicletas, às milhares, nas ruas, nos passeios, em parques de estacionamento de 3 andares ao lado da estação de comboios, em estacionamentos distribuídos pela cidade que se encontram totalmente cheios e, por essa mesma razão, as pessoas têm de as prender - com os cadeados mais grossos que vimos até hoje - a qualquer coisa que não mexa: ao corrimão de uma escada, aos ferros de uma ponte, aos postes de iluminação, a andaimes de obras, etc! a confusão na cidade é fácil de perceber! quando há milhares de bicicletas, há milhares de direcções, milhares de tipos de condução. saímos da cidade sem perceber como é que, depois de uma noite de copos, as pessoas conseguem encontrar a sua bicicleta...é impossível! por isso é que quando uma bicicleta é roubada e se tenta fazer queixa na polícia, a resposta que se tem é: roube uma também!

saímos de amesterdão sem muitas saudades. não é uma cidade, com toda a certeza, onde seríamos capazes de viver!

dali, pedalamos 125km até deventer, onde dormimos em casa do jori. não visitamos a cidade, estavamos completamente rotos quando chegamos e só queríamos descansar o traseiro, tomar um banho e comer o mínimo possível, pois até para isso estavamos cansados! valeu a simpatia do nosso anfitrião para um fim de dia bem passado a ver vídeos do michael jackson...

no dia seguinte, encontramo-nos a poucos quilómetros dali, em enschede, em casa do hans e da babbete, casal que nos recebeu com umas tostas deliciosas! depois de jantados e já com o corpo fresquinho após um bom banho, levaram-nos até ao centro da cidade, onde depois de uma caminhada para conhecer os "cantos à casa", nos sentamos numa esplanada a disfrutar do calor que se fazia sentir e acabamos a comer uns deliciosos gelados...tudo oferecido! perfeito! dali, 2km nos dividiam da alemanha, país para o qual pedalamos a seguir!

7 comentários:

MagikPoiZion disse...

não que seja uma fã incondicional de amsterdam, mas também não posso deixar de comentar tamanho negativismo. um mapa é uma coisa que serve para orientar e não há desculpa para andarem perdidos constantemente, a não ser por opção. o que pode estragar o encanto de uma cidade à partida. seja ela qual for. venezia é dita por muitos como uma das cidades mais bonitas de se ver, no entanto andar por lá perdido é super fácil... é possível ter esse tipo de discurso em qualquer lugar do mundo onde se vá, se não se perder segundo nenhum a ver para além das circunstâncias.
também não fui a amsterdam pelas drogas, porque não uso. não fui para ver as prostitutas, porque também não consumo. mas faz tudo parte de uma cidade. e se pensarmos em todas as prostitutas do mundo, estas são as que menos pena metem! objectos? sim, pagam-lhes para isso. e então?! não choca minimamente.
e o resto? quem lê, não vê mais nada além do que já conhece, de ouvir falar... que pena! para vocês, sobretudo.

2numundo disse...

ritita, sentimo-nos pela primeira vez quase que obrigados a comentar um comentário e ainda bem que és tu, que nos conhecemos tão bem e conheço-te perfeitamente essa forma de reacção...também a teria, certamente! gostar de um local, seja ele qual for, tem muito a ver com o estado de espírito com que estamos na altura. amesterdão não nos apanhou in the good mood e levou por tabela. é certo que um mapa resolve muita coisa - nós tínhamos o mapa. o que é certo também, é que não detestamos amesterdão, mas como tudo, há locais que preferimos a outros. nós falamos da nossa experiência na cidade, que não foi muita (acho que dá para perceber) apenas vagueamos, perdidos talvez, demasiadas vezes, por entre ruas e canais que nunca mais acabam. as drogas e as prostitutas, como em qualquer cidade, fazem parte, claro e o que nos poderá chocar não é o facto de existirem prostitutas em montras, mas a possível necessidade/obrigação que têm para lá estarem. e depois é o desrespeito pelas mesmas que continua a acontecer e isso sabemos que também lamentas. dizer amesterdão nunca mais, era a pura estupidez. claro que voltaremos, mas noutras circunstâncias, de certeza. com amigos...contigo, quem sabe! lembro-me que uma amiga viajou até florença e disse que era a cidade mais romântica que já tinha estado. nós, não achamos piada nenhuma. achamos até que óbidos é mais romântico! quando estava na índia, a primeira vez que cheguei a calcutá, detestei. jurei nunca mais voltar. regressado por necessidade algum tempo depois, passei lá 3 dias...e voltei tantas vezes quanto me foi possível, e é uma das minhas cidades favoritas! acho que sim, tem tudo a ver com a altura e o estado de espírito com que vamos e repito, não estávamos in the good mood!

Anónimo disse...

ola rafael...fala o joy...
nao sei se vou a tempo de te dizer,kuando estiveres na alemanha e se por akaso passares por Bremen,os meus pais pediram-me para te dizer k teem muito gosto em hospedar-vos pelo tempo k vcs kizerem.
Bremen é uma cidade muito bonita para visitarem,cheia de monumentos historikos e outras koisas mais...os meus pais na kinta feira estao ka em portugal,mas os meus primos estao na alemanha e podem tratar de tudo,fikam kom a kasa dos meus pais á disposicao,e se forem adepto de uma boa karne,podem tb ir provar um bom rodizio no restaurante do meu pai,se nao,tb tens uma variadade grande de komida nao animal...
vou-te deixar o kontakto do restaurante:oo49(4213520000)vao te atender em alemao,mas falas em portugues pk todos os k trabalham lá sao tugas
kasa:0040(4213780626)...ou podes tb eskrever para:info@rodizioboinabraza.de...
kuando puderes dá noticias em kaso tenhas alguma duvida...
espero k se divirtam muito por onde ker k passem e uma boa viagem...
joy ;)

MagikPoiZion disse...

tens toda a razão. foi tudo isso. e deu para perceber (muito bem!) nas tuas palavras! fiquei foi com pena, mais por vocês...
tenho lido assiduamente o teu blog, como sabes, e acho super curioso as curiosidades (passo a redundância) que colocas sobre cada uma das cidades por onde passam, a maioria delas para além do que de comum se conhece... e pela primeira vez, oh. não houve.
e que não deixem cair o good mood das bicicletas na próxima jornada! ;)
beijoca grande!!

recordando54 disse...

Olá meninos.Cada vez me deixam com mais " inveja", de não ter pedalado com vocês. que apesar de se estarem a rir a bom rir por estarem a ler o que vos estou a escrever, até era " menina" para aguentar e com tantas mordomias com tantos hoteis de 5 estrelas onde têm sido hospeadados , ai não que não ia.
Agora só uma perguntinha. Onde é que a Tanya foi herdar o vestidinho que traz vestido? Se bem me lembro de cada vez que organizavam os sacos para levar tiravam alguma coisa , pois era muito peso. Não me lembro de ter visto esse vestido em lado algum, risos.
Vá , continuem lá a vossa viagem e quem sabe se na próxima levem companhia .
Uma lambidela de cada um dos vossos filhotes e um grande beijinho meu para vocês.
Amo-vos e admiro a vossa coragem e o vosso desprendimento de tantas futilidades que por vezes superam e destroiem o entendimento da humanidade.
Continuo a dizer-vos que nunca desistam dos vossos planos , porque nunca desistirei de vos apoiar.

Cláudio Pimenta disse...

Ola artista, daki fala a mais recente futura ausência confirmada no CCVF, O KidBee fui o seguinte...lol Abandono o barco no dia 30 deste mes, acabou a paciencia...espero k esteja tudo bem...por aki tudo a mesma merda....lol abraço grande e beijo para a Taninha...

xistacio disse...

P.S.325 - Por amor de deus, PENTEIA-TE!!!

Posts mais populares