até meio de frança!

passar a fronteira para frança foi um consolo! mal a nossa entrada se deu em menton - a pérola de frança - logo os nossos sorrisos se abriram! duas senhoras meteram conversa connosco e a simpatia dos franceses (opinião pessoal) veio para ficar! de onde vínhamos, se tínhamos sítio para ficar, a inveja de não fazerem uma coisa igual à que fazíamos! bom! um passeio rápido pela cidade, para descobrirmos rapidamente que ficaríamos outro dia! o nick veio ao nosso encontro e levou-nos, estrada acima, para a casa que partilhava com mais 4 amigos: ele, de hong-kong, outro de espanha, outro da austrália, outra da noruega e outro do egipto! todos 5 estrelas! dois dias naquela casa, misturando o português, o espanhol, o francês e o inglês, como se de uma só língua se tratasse! nestes 2 dias, passeamo-nos pelo centro histórico da cidade e também pela parte nova, bem menos atractiva mas tornando, muito rapidamente, menton numa das nossas cidades preferidas desta viagem! a parte velha é belíssima, com as suas casas coloridas, vielas estreitas que sobem encosta acima, com o cemitério, bem no alto, no sítio do antigo castelo, olhando a mediterrâneo azul! na despedida, trocamos contactos que nos servirão no próximo ano, se tudo correr bem, para estadias prolongados no médio oriente, onde a maior parte destes estudantes se encontrará a estudar. até para o ano e obrigado!




grasse foi a cidade seguinte, terra adentro, em direcção à capital mundial do perfume! já tínhamos visto fotos da cidade, que nos atrairam bastante e depois de vermos o filme "o perfume", baseado no romance de patrick suskind, ficámos ainda mais curiosos! o que descobrimos, logo à chegada, era que a cidade era gelada...um frio de rachar! depois entramos um pouco nela, depois de nos termos enganado no sítio de encontro e quase termos descido toda a colina, o que seria um autêntico desespero àquela hora, visto que estávamos estafados e reparamos que a cidade nada tinha a ver com o filme...nada. já com os nossos anfitriões, tivemos oportunidade de concluir isso mesmo! as imagens do filme são de todo o lado...menos de grasse! no dia seguinte, veríamos isso melhor...mas não, no dia seguinte choveu torrencialmente, desde que acordámos, bem cedo, até adormecermos, bem tarde. não saímos de casa e grasse só foi vista da varanda da casa onde ficámos, que ficava bem no topo. uma cidade que se estende por muitos quilómetros em volta do seu centro histórico, pequeníssimo e apertado pela evolução.

aix-en-provence seguia-se no nosso caminho e tivemos pena em nada ver da cidade, mas a nadine levou-nos para sua casa e logo nos propôs um programa irrecusável. que esperava uns amigos e logo apresentariam um vídeo sobre uma viagem à índia que tinham feito e, logo a seguir, um jantar com todos! porém, antes mesmo de todos chegarem, tivemos uma breve aula sobre a história do haiti e soubemos que foi o primeiro país do mundo a pôr término à escravatura. a nadine, com toda a história mundial na cabeça, ia explicando uma e outra coisa e nós aprendíamos a cada palavra! logo a seguir, o vídeo, super divertido sobre a viagem que ela e 3 amigos haviam feito no verão passado...rimo-nos que nos fartámos e assim continuámos ao jantar e depois dele, quando passámos mais de uma hora a jogar...um jogo, que nos fazia adivinhar personagens mundiais conhecidas e nos fazer mímica para as mesmas! todos com um chapéu diferente, foi riso até nos irmos deitar!

...e fomos, por aí adiante, por entre vinhas e adegas, percorrendo parte a estrada que nos ligaria a vidauban, muito menos "acidentada" a nível de elevações. foi pacífica a pedalada e muito menos fria! no centro da cidade esperamos pela pessoa que nos daria casa nesse dia que, depois de aparecer e nos comunicar que ainda vivia a 5kms dali, meteu todos os nossos sacos no carro e nos pediu para o seguirmos. a casa ficava na base de uma pequena colina, era muito pequenina mas muito acolhedora e quente...o essencial! jantámos um prato embalado e vimos televisão portuguesa, ao fim de tantos meses...o que nos fez perceber que continua uma verdadeira...bosta. a conversa não foi longa, pois nada percebemos de vinho - coisa que o nosso anfitrião era expert - e por isso a coisa desenrolou-se entre as nossas pedaladas diárias e uma ou outra coisa sem importâcia alguma. enfim! dormidos, pequeno-almoçados e partidos para avignon!

foi fácil o percurso para a cidade onde iríamos ficar 2 dias. em casa da rose e duma amiga chegamos e instalámo-nos á grande, percebendo logo ao início que nos iríamos dar super bem naquele sítio! e assim foi! a conversa foi-se fazendo, a empatia foi aumentando, os risos - a princípio timidos da rosa - foram abrindo e soltando-se cada vez mais! deitámo-nos tarde, depois de um belo dum jantar, de vídeos da nossa viagem e de piada atrás de piada! no dia seguinte vistámos a cidade que, pensávamos, seria bem mais pequena...pelo menos o centro. mas não, o seu centro histórico é muito maior do que julgávamos e não tão velho como havíamos pensado. de avignon tínhamos duas referências: que tinha um dos maiores festivais de teatro da europa que, infelizmente, se realiza em agosto; e que foi sede da igreja católica, assim como o é hoje o vaticano, por mais de 1 século. no centro da cidade, o palais des papes, o espaço onde estes habitavam durante o seu..."reinado"! visitámo-lo, lemos a demsiada informação que havia por todo o lado e tomámos mais uma vez consciência da dimensão, riqueza e poder da igreja católica. o que nos soa estranho, é que continuem a ter um discurso pedindo a simplicidade, o viver com o menos possível, a humildade, entre outras coisas que nos soa a muito estranho e...falso. enfim. dali, partimos para a ponte de avignon, a famosa ponte de avignon que nos lembra a famosa canção "sur la pont d'avignon" e que, viemos a saber depois de a visitarmos, que a canção original era "sous la pont d'avignon", pois nasceu de um café que existia debaixo da ponte, no qual as pessoas cantavam e dançavam e, por essa mesma razão, a origem da música! esta ponte tinha 900 metros e 24 arcos e era uma das maiores pontes da europa, fazendo com que avignon se tornasse, a seguir a paris, na segunda maior cidade francesa da época. crescendo muito economicamente, já que servia de ligação entre a frança e itália e espanha. à noite, tivemos outro belo doutro jantar e dormimos decansadinhos prontos a partir logo que a manhã chegasse!

dali até nimes, foram só uns 50kms, por isso saímos tarde e chegámos a horas de ainda ver a cidade e passar um bom bocado com o ceryl, que era actor de teatro de rua, malabarista, clown e que estava super atarefado a preparar um espectáculo. a casa estava o verdadeiro bordel e mesmo depois de lhe tentarmos dar um jeitinho, a confusão continuava. a cidade é acolhedora, mas como a visitamos já de noite, nãovimos muitas coisas, sendo no entanto daquelas que achamos ser merecedora doutra visita! já em casa, estivemos ainda um bom bocado com o ceryl, que nos passou imensa música, filmes e nos deu algumas dicas de espectáculos de rua...em 45 segundos! é segredo! fomos descendo...

Sem comentários:

Posts mais populares