em itália, foi mais ou menos assim!

muito resumidamente, o que se passou então desde que saímos da grécia? entramos em itália de barco, qual aventureiros em busca de um país pelo qual não caímos de amores, prontos a dar-lhe mais uma "oportunidade".

os sítios pelos quais passamos e paramos para dormir foram: ancona; fano; cesena; bolonha; reggio emilia; varazze; bartolomeo al mare

quem nos recebeu?
ancona - clarina
fano - daniel e orietta
cesena - silvia
bolonha - mario
reggio emilia - nazim
varazze - um quarto de hotel
bartolomeo al mare - a tenda

do que gostamos?
1 - das pessoas que nos receberam em suas casas através do couchsurfing ou hospitalityclub! sim, foram muito boas, deixaram-nos completamente à vontade, como se em casa nos sentíssemos! partilharam jantares, experiências, anedotas, momentos de muito boa disposição, música improvisada, amigos, voltas pela cidade e tudo o mais que lhes estava ao alcance!
2 - da arquitectura de algumas cidades italianas, apesar de, depois de se viajar um pouco pela itália (norte) termos a noção de que são todas muito iguais. no entanto, à noite, com as cores que têm e as luzes nas ruas, ganham outra magia!
3 - do albergo aurora em varazze que nos viu desesperados, com muito frio e princípio de chuva e nos reduziu o preço, nos arranjou internet e até nos ofereceu o pequeno-almoço no dia seguinte!
4 - de termos apanhado o comboio de reggio emilia para génova, que nos poupou uns 200 e poucos quilómetros de viagem!
5 - dum bar/restaurante a que fomos em fano, chamado piada e que além de servir as tradicionais piadinas - óptimas! - nos delicia com a sua decoração relacionada com bicicletas, pois o seu dono é um amante das mesmas, além de todos os seus clientes, claro está! ponto de passagem obrigatório!

do que não gostamos? continuamos a achar que no norte de itália, onde já estivemos antes, as pessoas têm a mania. dizia-nos uma alemã que conhecemos em bolonha (imagine-se, uma alemã!) que as pessoas em itália nunca correm e que não sabia se era porque nunca tinham pressa para nada ou se para não perderem a pose. nós achamos que é a segunda hipótese, sem qualquer dúvida. as pessoas têm o nariz empinado, uma espécie de snobismo que não lhes fica nada bem. nada a queixar, basta não voltar! um de nós já é a terceira vez que para ali viaja, outro, a segunda e a ideia com que ficamos, é sempre a mesma...

o que detestamos?
1 - a estrada pela qual decidimos subir país acima e, se muitas foram as vozes que se levantaram dando-nos outras opções de ca
minho, o facto de estarmos calejados das montanhas da grécia, fez-nos tomar um rumo pela via emilia, que foi a estrada mais entediante que tomámos até agora. além de tudo, ainda estava cheia de camiões, automóveis nervosos e muito nevoeiro.
2 - a chuva que apanhámos já do lado de lá das montanhas, que caiu continuamente desde que saímos do hotel em varazze, até
sairmos da tenda em bartolomeo al mare, no dia seguinte. resultado? todos encharcados, da cabeça aos pés, sem sítio para secar a roupa e com um telhado de uma garagem a cobrir-nos ao seu melhor jeito a noite toda. porém, à 1h30, tivemos que nos levantar, pois tomamos consciência que a tenda estava dentro de um lago e tivemos que mudar de lugar. muito vento, trovões, relâmpagos e chuva. no outro dia, vestir a roupa toda molhada, não foi nada engraçado.
3 - as pessoas pelas quais passámos e que nos ignoravam completamente por estarmos naqueles estado, sem se preocuparem se estávamos bem ou não (não estávamos). os hoteis caríssimos que nos rebentavam completamente o orçamento, levando um simples hotel de uma estrela, por uma noite, 50€ - dois dias e meio deorçamento da nossa viagem!

o que se pode contar mais acerca de itália?
- que continua a viver num regime de fascismo;
- que existe uma proposta de um partido para se dividir o país a meio, em que a linha de fronteira seria o rio reno. o norte rico e trabalhador, com pouco desemprego e o sul pobre e com muito desemprego;

- que existe uma forte tensão entre pessoas do sul e do norte, tendo-nos dito até o mario de bolonha, que via
papeis nas paredes na cidade, de estudantes procurando quem com eles o apartamento partilhasse mas, em letras bem gordas, que não aceitavam gente do sul!
- que as pessoas não se afastam nas ruas quando connosco se cruzam, resu
ltando num embate quase frontal, pois chegamos a uma certa altura que também nem um centímetro nos afastamos e seja o que for;
- que em itália existem mesmo muitas livrarias, o que nos agrada imenso! são às dezenas e muitas em cada cidade! há outlets de livros...muito bom!

e de lá, de itália, até frança, ainda passámos pelo mónaco, deslizando de bicicleta pelo circuito urbano de fórmula 1! o principado, em si, nada tem de bonito. prédios, prédios e mais prédios. pessoas ricas, ou aparentemente ricas e puf, acaba-se logo ali!

itália, agora, só de passagem ou então para viajar até às dolomitas bem no norte ou para ir bem para sul que, dizem-nos, é outro país!

2 comentários:

Anónimo disse...

un saluto grande grande dalla "Piada" di Fano!

Anónimo disse...

Piazza Santo Stefano! Grandes memórias, obrigado pela foto.

PP

Posts mais populares