pirenéus fora da vista

 

concluímos a etapa dos pirenéus! estávamos com medo... as pessoas assustaram-nos bastante! os pirenéus metem respeito e os dias que estivemos em pamplona, olhávamos para as montanhas e só pensávamos que teríamos de as passar para chegar a frança. engolíamos em seco...

dia 25 acordámos com o céu ainda escuro e com chuva. o clima não convidava ninguém a sair da cama! estava frio mas as montanhas chamavam por nós! tinha de ser nesse dia! não podíamos fugir!
não pensávamos nas subidas. estávamos concentrados. controlávamos a respiração. sabíamos que para chegar a roncesvalles, teríamos de passar por dois topos de montanha. íamos a um bom ritmo, atirávamos umas bocas, falávamos do frio que se transformava em calor. quando aparece uma placa com a altitude, é sinal que chegámos lá acima! a primeira placa, apareceu aos 800 e tal metros (não nos recordamos ao certo...) ufa, a primeira já estava vencida!

aproveitámos a descida para comer ao frio e preparar-nos para a próxima subida! com pouco esforço (ou melhor, o esforço normal de uma subida) já estávamos nos 900 e tal! viva a placa dos 900 e tal! mais um pico vencido! sabíamos que o albergue de peregrinos estava perto, sabíamos que não íamos descer mais! para o primeiro dia, estávamos contentes com a nossa prestação! estávamos concentrados no desempenho físico mas conseguimos admirar a beleza que são os pirenéus! incrível! o outono traz uma nova pintura às paisagens e é incrível ter enormes montanhas ao nosso lado! passávamos por pequenas aldeias onde não nos cansávamos de dizer "que bonito!!!". estávamos contentes com o primeiro dia e contentes por nos alojarmos num albergue com pessoas de difírentes nacionalidades e idades!
roncesvalles foi um pouco (bastante) decepcionante... não tinha nada de parecido com as outras terrinhas pelo qual tínhamos passado! mas para isso há uma explicação. foram os peregrinos que fizeram o que roncevalles é hoje. os que começaram a fazer o caminho francês de santiago de compostela, paravam na pequena aldeia - hoje com 24 habitantes - logo após a dura etapa dos pirenéus, vindos de frança, e aí descansavam e pernoitavam no "hospital" que os acolhia. hoje em  dia, continua a ser uma paragem para eles, pernoitando no albergue e como não é permetido cozinhar no seu interior, há uns pequenos restaurantes à volta... isso deixou-nos um pouco tristes com a ideia de negócio... tentámos não pensar nisso e comer o pão que tínhamos, com a lata de lentilhas aquecida com a água quente que saía da torneira! tentámos não pensar nisso e aproveitar a companhia de diferentes pessoas que nos iam contando as suas histórias e connosco faziam a festa! é o bom dos albergues! e às 22h a luz do grande quarto, com três fileiras de beliches, desliga e "rezámos" para que não houvesse ninguém que ressonasse!

às 6:45 a luz acende com uma melodia (disse a pessoa responsável, que a mesma que toca na catedral de santiago...), é de noite e as estrelas continuam nos seus postos! está frio e sair do saco de cama é um trabalho que exige muito esforço. desejamos bom caminho para todos e fomos ao nosso caminho, contrário a todos os outros! começamos o dia a subir com as luzes acesas! estava nevoeiro e nem a subir dava para aquecer. no dia anterior, uns franceses disseram-nos que teríamos de subir 6 kms! que subiríamos até aos 1050 metros! começámos o dia com medo. passado 2 kms apareceu a placa! 1057 metros! chegámos??? já? depois desse pico, não íamos subir mais! e já tínhamos chegado? assim, com tanta facilidade? prontos para descer? nunca uma descida nos custou tanto!!! 18kms  a descer com uma paisagem incrível e estávamos a morrer de frio no meio dos 3 graus negativos!!! não sentíamos os 20 dedos! em vez de luvas, parecia que tínhamos pequenos congeladores nas mãos! parávamos para tentar aquecer e descansar do vento que nos cortava... continuávamos o caminho a tremer de frio, a gritar, a soltar gemidos!... paramos num café e fomos a correr para a lareira! os dedos doíam! e doeram ainda mais quando começaram a aquecer! olhávamos para fora e não tínhamos coragem para sair! com os dedos quentes, os 20, começámos a rir, mas sempre dentro do café!!!

afinal, subir os pirinéus não foi complicado! nesta altura do ano, não é as subidas que podem assustar, mas sim, o frio nas descidas! já nos encontamos em frança e podemos voltar a dizer: adoramos frança!!!

2 comentários:

o santareno disse...

Grande esforço que nos é relatado, mas depois... surge sempre a compensação. Muita força e coragem vos são necessárias.
Aguardo o próximo relato
MadeiradaSilva

Maria Sangreman disse...

Parabéns!!!
Grande beijinho e boa viagem!
Maria

Posts mais populares