disfrutar devagar!

o joão e a valérie já não precisam de apresentações! já todos sabem da viagem que fizeram durante 4 anos pela ásia! antes de os conhecermos pessoalmente, tínhamos devorado o livro que escreveram: “pedalar devagar” e a partir daí, sonhávamos em fazer uma viagem parecida! cá estamos nós, com os pés nos pedais para como eles, pedalarmos devagar!
deixámos o livro na prateleira para ouvir ao vivo e a cores, o relato das aventuras destes dois aventureiros! dávamos por nós a pensar “estamos mesmo com o joão e com a valérie! são mesmo eles!” - e continuávamos a ouvi-los. “será que estamos demasiado dentro do livro que estamos a imagina-los aqui?” e continuávamos a ouvi-los. eram mesmo eles, estávamos mesmo com eles! pode parecer exagero todo este nosso entusiasmo, mas quando estamos com as pessoas que nos inspiram a viajar, isso deixa-nos com uma alegria muito grande!
sim, valeu a pena subir aquele "evereste"! a valérie abriu-nos a porta e os nossos olhos abraçaram-na com muita força! estávamos em casa e sentimo-nos bem!
fizeram uma pausa nas duas rodas e empenham-se na educação dos dois filhos, o yacha e o sinai e acreditem que esses novo “projecto” daria um bom livro! o sinai é um rouba mimos e o yacha um foge dos mimos mas só dá vontade de o raptar para o bombardearmos de abraços e beijos! souberam bem os almoços e os jantares em família e ouvir a mistura de línguas naquela casa! falávamos francês, ouvíamos o alemão mas à mesa o português era obrigatório! o papel colocado na janela não deixava esquecer isso! “à mesa, só português”. foi tão bom ouvir o sinai a cantar, “ as pombinhas da catrrrrrina andarrrrão de mão em mão” com os r's carregados do alemão!

as três noites previstas para zurique, prolongaram-se numa semana! a verdade é que não queríamos ficar tão pouco tempo mas tínhamos um avião para apanhar em munique… “fiquem mais tempo, eu levo-vos uns quilómetros mais à frente!” claro que aceitámos a proposta do joão! é verdade que o frio não nos convidava a sair e o calor daquelas pessoas também não!
aproveitamos a neve para pegar nos trenós e praticar um pouco de desporto de neve! o aquecimento era sempre feito com a guerra de bolas de neve. depois era pegar no trenó fechar os olhos e deixar o sinai e o yacha conduzir! o trenó deve ser classificado como desporto radical de alta adrenalina! curva para a esquerda, curta para a direita, desviar dos outros trenós… muita neve comemos e muitos trambolhões demos! a equipa yacha/rafael ganhava sempre à equipa sinai/tanya mas a equipa sinai/tanya, ganhou em trambolhões e ingestão de neve! chegávamos a casa cansados mas não era isso que nos deixava ko. depois da história lida ou inventada ou das canções da valérie, aos miúdos, continuávamos as conversas à mesa até nos perdermos nas horas.
os dias foram passandos a ouvir os relatos das viagens. dá vontade de partir para procurarmos todas as sensações que eles tentaram passar mas por outro lado sabíamos que a despedida, ou melhor, o até já, ia ser difícil!
os últimos dias tinham chegado… respirávamos fundo. o joão chegou mais cedo do trabalho para nos levar. tínhamos sempre uma última coisa para fazer, ou para mostrar, qualquer desculpa valia para prolongar a estadia. mas tinha de ser, as bicicletas já estavam na carrinha com todos os sacos, só faltávamos nós. como foi difícil!!! o yacha e o sinai, são duas crianças incríveis com quem não nos cansamos de estar. sabíamos que íamos sentir falta deles! o joão tirava toda a neve da carrinha e fazia a última manutenção e nós tínhamos a tarefa difícil de nos despedirmos da valérie… foi impossível conter as lágrimas nos abraço. o nó na garganta apertava e foi impossível dizer o que quer que seja, a não ser "obrigada"! a porta da carrinha já estava fechada e o motor já trabalhava. a hora tinha chegado e lá fomos nós, ficando os primeiros minutos em silêncio…
direcção a kempten com o joão numa condução muito atenta na estrada cheia de neve! passámos a fronteira da áustria e logo a seguir entrámos na alemanha! chegados ao destino outra despedida teria de ser feita… mas não sem antes de tomarmos um café juntos, na casa do novo anfitrião, o rolf!

o joão não podia ficar mais tempo… tinha todo o caminho de regresso em frente e a estrada não estava para muitas amizades… desta vez foi uma despedida rápida, um forte abraço, um até já, ou um até amanhã a fingir. a porta do prédio fechou-se. estávamos só nos os dois na entrada. olhámos um para o outro e sentimos um vazio enorme.
obrigada joão e valérie pelos dias em zurique! obrigada pelos momentos em família e por toda a partilha! são grandes e lindos! "muita merda" joão para as próximas peças de teatro e não posso terminar sem dizer o quanto admiro a mulher que é a valérie! ao ler o livro queria ter a força dela e admirava-a imenso e agora admiro-a ainda mais e continuo a querer a força dela! obrigada valérie!

obrigado pela prenda de natal!

3 comentários:

Anónimo disse...

Amei este post....Cheio de emoção e verdade.....

Força ai....

Nuno

MagikPoiZion disse...

:'( que lindo...

Valérie disse...

Obigado Tanya e Rafael. Obrigado pelo "mais-que-lindo", sentimental e emocional post! Foi com lágrimas nos olhos que o lêmos! Obrigado pelo elogio. Obrigado também por se terem dado ao trabalho se subir a este Evereste. Obrigado por terem passado e ficado cá em casa. Que prazer, que rir, que alegria! quando partiram, as lágrimas voltaram! o coração apertou e um vazio enorme invadiu-nos. Quando dizem: Zurique resume-se a uma casa, deixa-nos sem palavras! Podia continuar a escrever e dizer muito mais da excelente semana que vocês nos proporcionaram, mas fico por aqui, pois este comentário já vai "atrasado", e bem atraso, já vocês estão fartos de viver coisas novas, (que delicia!), de qualquer maneira, como diz o velhinho ditado: mas mais vale...
Um beijo grande, muitos abraços e continuação de uma viagem excelente, que é, e será com certeza!
João Gonçalo, Valérie, Yacha e Sinai.

Posts mais populares