a tranquilidade do sinai

mal entrámos no egipto, o sinai estava na nossa cabeça! estávamos ansiosos por ver com os nossos olhos tudo o que vimos em fotografias de outros viajantes. queríamos muito pedalar no meio daquelas montanhas áridas!

saímos de ismailia em direcção ao tunel que nos leva ao sinai. fomos mandados parar pela polícia. as bicicletas não podem atravessar o túnel… mas tudo se resolve e foram eles que resolveram. bastou mandar parar uma carrinha de caixa aberta, colocar as bicicletas no seu interior e aproveitar a boleia que nos levou até ao cruzamento com a estrada que liga o norte ao sul da costa oeste, do sinai.


tínhamos o sinai aos nossos pés! deliciávamo-nos com o caminho e sorríamos com o vento que nos ajudava com um empurrãozinho. não tínhamos sítio exacto para parar até chegar a st. catarina, destino que estava marcado há muito.

ao longo do caminho tínhamos vários postos da cruz vermelha, ou melhor, da lua, pois aqui a cruz é uma lua - croissant rouge. parávamos para pedir água e acabamos a pedir dormida. éramos bem acolhidos e alimentados! não tínhamos a autorização para fazer o quer que fosse! só tínhamos de esperar que a comida viesse para a "mesa".


em abu zenîma, pedimos ajuda à polícia e este disse-nospara montar a tenda ao lado da esquadra. ainda hoje não sei se foi boa ideia... seguros nós estávamos mas os guardas exageram na segurança dos turistas!

- não saiam daqui sem antes me avisarem! isto aqui é muito perigoso! dizia o comandante.

muito perigo... pois sim. claro que saímos para um passeio. avisámos um guarda que íamos até à beira mar e fomos e voltámos e voltámos a avisar que íamos até à montanha e estávamos a caminho quando fomos chamados. era o comendante.

- mas o que foi que vos disse? porque é que não ouvem aquilo que vos digo? isto é perigoso!

- mas é perigoso porquê? - queríamos perceber. queremos ir tirar fotografias à montanha e avisámos o guarda.

- mas é a mim que têm de avisar! (alta voz, meio exaltado) tiram fotografias amanhã de manhã, não é agora que se tiram fotografias (as montanhas estavam com uma cor fenomenal!) é muito perigoso! ao atravessar a estrada pode passar um carro e atropelar-vos!

pronto! não sabíamos se nos haviamos de rir ou virar costas. ainda tentei explicar que em portugal tamém existem carros! decidimos sorrir, agradecer os conselhos e continuar o nosso caminho sem antes ouvir:

- não vão para o meio da população.

chegámos em frente à montanha e a cor fenomenal tinha desaparecido... decidimos caminhar pela povoação para tentar perceber os perigos. ainda hoje não percebemos o que ele quis dizer com aquilo.

até chegar a st.catarina, as nossas noites foram passadas convivendo com os senhores que trabalham com as ambulâncias, que faziam tudo para nos agradarem. o problema foi o facto do banho ser inexistente... foram 6 dias sem sentir a água a escorrer pelas costas... faz parte (temos de pensar assim). estávamos no cruzamento para st.catarina e decidimos não continuar para sul e ficar já na estrada que nos levaria ao destino tão esperado. precisávamos de extender os visto mas não queríamos ir de bicicleta. deixámos as bicicletas e fomos pedir ajuda à polícia para nos arranjar boleia para el tur. por favor, não peçam ajuda à polícia no egipto! claro que não conseguimos! os polícias queriam que fossemos de táxi ou de autocarro e não percebiam quando lhes dizíamos que não tínhamos dinheiro para isso e insistiam em mandar parar apenas transportes que fossemos obrigados a dar dinheiro. muitas pessoas que se encontravam lá conseguiram boleia e nós, feitos burros, esperávamos pela boa fé dos agentes da autoridade... desistimos, começamos a caminhar e não foram precisos muitos sinais para que um carro parasse e gratuitamente nos levasse até el tur!
já no regresso, fomos mandados parar por um rapaz na sua motorizada e fomos convidados para um chá em sua casa e acabámos por lanchar/jantar! a comida estava óptima e ficámos tão cheios que pensávamos que não iríamos conseguir comer nada quando regressassemos... mentira! bastou aparecer a comida que não conseguimos resistir! cozinham bem, aqui!!!
a última noite antes de chegar a st.catarina, foi passada em feyran e, desta vez, dormimos separados! havia um pequeno problema com o facto de uma mulher dormir no interior do posto do croissant rouge... ok, mafish mushkila! dormimos separados e eu arranjei um gatinho que dormiu toda a noite comigo, dentro do meu saco-cama! claro que a despedida foi dura e se estivessemos em portugal com uma vida dita "normal" seria um gato que adoptaríamos.


pedalar no sinai transmite uma calma imensa. claro que o silêncio é interrompido algumas vezes pelas carrinhas que passam sempre acompanhadas pela buzina ("buzinem para marcar a vossa presença ou apenas para dizerem que estão vivos" - passa esta frase nas televisões...)
mesmo no meio do nada, aparecem estranhas pessoas e encontrámos um dos reis magos que fez questão de tirar uma fotografia connosco! não trazia com ele nenhuma prenda, apenas a vontade de ficar alguns minutos ao nosso lado. quem também faz questão em correr na nossa direcção, são as crianças que estão nos sítios onde não esperamos ver ninguém. há dias que (vou falar por mim pois é mais a mim que acontence) não tenho paciência para elas, eu que adoro crianças! mas quando estou cansada, querendo sossego na estrada e vejo um grupo enorme de crianças a correr na nossa direcção e tocam nas bicicletas e estão perto delas e continuam a tocá-las, a tocar-nos, imagino-me a cair, a dar um grande tralho no chão! antes que isso aconteça, grito um grande "la a" (o segundo "a" é para acentuar bem a negação) e elas param assustadas e admiradas e desistem da corrida! tem resultado mas confesso que a última vez que fiz, não fui muito correcta... disse-me o rafael. mas antes que elas abusassem, meti o travão!

chegámos a st.catarina e instalamo-nos num "campismo" onde alugámos o nosso tão humilde t0 sem casa de banho!


para terminar, deixamos fotografias da nossa ida ao mosteiro de st.catarina e da subida ao monte sinai (de onde deus ditou os 10 mandamentos a moisés e local sagrado para cristãos, islâmicos e judeus)! a vista que se tem no topo é de ficarmos sem palavras e na realidade não precisamos de palavras. sabe bem respirar fundo e absorver tudo aquilo que os nossos olhos alcançam. tentamos memorizar cada pormenor das montanhas. o sinai é sem dúvida um destino a voltar!



aaahhhh! descobrimos! afinal os passeios não são passeios! basta ver as pessoas da terra e aprender com elas! cá está, os bancos do egipto!


não percam o próximo episódio do 2numundo no sinai! em breve, no vosso blog de eleição!

desafio 2numundo

a melhor quadra sobre a nossa viagem será escrita numa folha, acompanhada do nome do autor e levada a fotografar num sítio especial na jordânia, para onde partiremos amanhã!

palavras obrigatórias: alfinete e panela de pressão!

até às 23h59 de domingo 23!

quem pedala, sempre alcança!

para concorrer, escrever um post com a quadra na nossa página do facebook: 

www.facebook.com/2numundo

canal do suez


port said surpreendeu-nos! chegámos ao canal de suez, ao tão famoso canal! nota-se a presença dos franceses na cidade, pela arquitectura, mas nota-se que esta presença já não está presente, pelo estado das casas…
as ruas estão mais limpas e as pessoas são menos chatas. sentimos um egipto diferente e depois de todo o caos por onde passámos, sentimo-nos bem nesta nova cidade e só não vimos a estátua da liberdade (a que está nos estados unidos) porque o egipto não teve dinheiro suficiente para a sua aquisição, sim porque esta foi construída para ser colocada em port said, querendo representar o progresso do egipto. no entanto, os estados unidos tinham mais dinheiro e é o dinheiro que vence…
saímos de port said seguindo o canal suez em direcção ao sul, até ismailia! passámos por vários check points para sair. tudo é controlado e tudo é revistado. as malas dos carros são abertas para ver se não houve compras em abundâncias, pois esta é a única cidade onde não se paga taxas, e muitos aproveitam para comprar aqui e vender mais caro noutra cidade.
o vento deu-nos uma mãozinha e chegamos a ismailia onde conhecemos o mohammed, e os seus amigos, que tínham vindo do cairo, de bicicleta...coisa rara! era noite de passagem de ano mas por cá não se festeja o novo ano… fomos todos para a cama cedinho… isso deixou-nos com saudades dos amigos e com vontade de estar com todos eles para brindar o novo ano! fomos para a cama a pensar neles… à meia noite não houve brinde  pois o filme que víamos ainda estava a decorrer. no fim deste, olhamos um para o outro: “bom  ano”, beijinhos e adormecemos…
bom 2011 para todos!!!
não estávamos à espera que os dias em ismailia fossem tão bons! o mohammed, o nosso anfitrião e o samy, o seu amigo, são dois rapazes incríveis com um enorme coração! faziam tudo para nos agradar e nós fazíamos o almoço e o jantar para dar a conhecer novos sabores! conseguímos ter conversas sobre a religião, sobre a política do país e foi bom conhecer pessoas com mente aberta e com vontade de mudar o que está mal, de fazer qualquer coisa pelo seu próprio país!
se em port said notámos a presença dos franceses, em ismailia essa presença é bem mais forte e bem mais conservada! com a vinda dos franceses para a construção do canal, cresceu em ismailia um bairro típico da belle époque. sentimo-nos em frança. a única diferença é que as estradas estão em mau estado, não há caixotes do lixo e ao longo de todas as ruas, há palmeiras!  


demoramos a sair da cidade. a companhia era óptima e sabiam bem os dias passados com tranquilidade, sem pressas  e a comer a toda a hora! damos a pontuação máxima para o leite achocolatado com amendoim ralado e ao sahlam – leite quente com um “pozinho mágico” que afinal não é baunilha, amendoim ralado, côco e chocolate. foram os mimos do incrível mohammed que mesmo doente, nos proporcionava momentos saborosos! 



e agora, rumo ao sinai! e vai aço!!!

Posts mais populares