a dança dos vistos


Viajar sem as bicicletas não tem sido a mesma coisa. Sentimos bastante a falta das nossas meninas. O nosso corpo também! Este nosso corpo que não pára de comer! Saímos de Iskenderon, sentados num auttocarro que demorou 18 horas a chegar a Trabzon. Este não é o nosso transporte preferido mas podemos afirmar que não foi assim tão doloroso. 
Estávamos com um nervosinho miudinho em Trabzon por causa do visto do Irão. Este era o primeiro visto que tínhamos de tirar porque sem esse, teríamos de mudar todo o nosso trajecto. Levámos a lição bem estudada. Na fotografia que entreguei, estava com um hijab, o lenço que as muçulmanas usam para tapar o cabelo, e entrei na embaixada com um lenço discreto na cabeça, algo mais moderno mas sem um cabelinho à mostra. Surpreendi-os!
- Oh, não era preciso, mas está muito bonita. - Disseram ao ver  a fotografia.
Muito bonita? Tirei a fotografia com o hijab branco e no fundo branco! Só se vê a minha cara... parece que enfiei a cara num buraco de uma parede branca! O que interessa é que gostaram e nós adorámos receber os visto em menos de 3 horas!
- Estamos felizes. - Justificámos o nosso sorriso e os nossos olhos colados nos vistos.
Aproveitámos que nos encontrávamos em Trabzon, para visitar o mosteiro de Sumela que fica a 50 kms. Esticámos o polegar e ficámos admirados com a facilidade com que os carros paravam.
Este mosteiro foi mais um que nos deixou de queixo caido. Só nos vinha uma pergunta à cabeça: quem teve a ideia de construir um mosteiro ali? É incrível! O seu exterior impressiona muito mais que o interior, isso porque a sua restauração não é lá muito famosa. Os materiais não são escolhidos com cuidado. Está ali uma mistura do antigo com o moderno. O que não deixa de impressionar, é a capela. Toda ela com frescos, no exterior e no interior. Os turistas chegados da Rússia, na sua maioria, e as pessoas da região, não preservaram os frescos e vandalizaram aquele espaço, escrevendo os seus nomes ou apenas riscando e apagando as caras das figuras religiosas.

Voltámos para casa, sempre mostrando o polegar e no meio do caminho, tivemos direito a um chá. O famoso chá que nos é oferecido todos os dias! 

A nossa missão em Trabzon estava concluida! Próxima paragem: Ankara
Estica polegar para o primeiro carro que nos transporta durante 10 kms. Estica polegar e o próximo carro transporta-nos 30 kms. O terceiro carro foi: o carro! O carro que foi nosso durante mais de 9 horas! Chegámos a Ankara cansados e estourados! 
Estávamos prontos para a dança dos vistos. Na embaixada portuguesa fomos muito bem recebidos e tivemos todas as informações necessárias. A doutora Maria da Graça fez tudo para nos ajudar e até nos convidou para almoçarmos em sua casa. Foi bom termos encontrado portugueses. Já estávamos com saudades!


Sobe estrada, entra numa embaixada, desce estrada, outra embaixada, sorrisos, welcome, e mais sorrisos, it's not possible, sai e entra noutra embaixada. Corre Rafa corre. Nos dois últimos dias fiquei em casa. Corre Rafa corre. Sai do autocarro debaixo de um forte graniso, entra numa embaixada, sai e vai para outra, molhado, com frio, corre Rafa corre, falta uma fotocópia, falta a assinatura da Tanya, corre Rafa corre e falsifica a assinatura. ufa... dias cansativos mas temos mais dois vistos no passaporte, o do Tadjiquistão e o do Quirguistão! A nossa missão em Ankara estava concluida! Próxima paragem: Capadócia!


2 comentários:

De Cabo a Cabo disse...

Força ai Rafa e Tânia!..

Segui atentamente o vosso percurso até agora, especialmente a partir do Egipto, pois é muito semelhante ao que vou fazer... já deu para tirar umas dicas...

Bjs, abraços e boas pedaladas...

Anónimo disse...

Boa Obliquelo (leia-se Rafa), corre que corre, corre sobre o Irão...
Boa continuação...
Abreijos
PP

Posts mais populares