Pedalar Devagar - Nomadiclas



O terceiro convite da secção Pedalar Devagar caiu sobre um casal que conhecemos há algum tempo, enquanto andávamos em viagem. O Alexandre e a Ana escreveram-nos a dar conhecimento da viagem que faziam e quais as razões pelas quais decidiram partir. Colocámos logo o blog deles em destaque na nossa leitura e sempre que temos oportunidade, fazemos um copy/paste de todos os seus posts que ainda não lemos e devoramo-los, mais tarde, em viagem! Apesar de não os conhecermos pessoalmente, temos trocado algumas mensagens com dicas, com experiências passadas e com projectos futuros, que nos vão aproximando cada vez mais e que farão de nós grandes amigos, temos a certeza! Ainda em viagem, a Ana e o Alexandre responderam-nos às perguntas lançadas! 

Aos Nomadiclas, um grande obrigado dos 2numundo!

Perfil
Ana
29 anos
Tomar
Desempregada

Alexandre
32 anos
Tavira
Desempregado

Qual a primeira viagem de bicicleta que fizeram e o porquê da escolha?
Esta é a primeira viagem de bicicleta e surgiu porque a ideia original prometia ser demasiado lenta para nós. Viajar a pé.

Como fazem quando querem viajar, em relação a trabalho e claro, a dinheiro?
Esta é a primeira viagem para nós, no verdadeiro sentido da palavra. Consoante o dicionário que usem, claro. Nenhum de nós queria ter prazos e quando partimos, não esperávamos regressar tão cedo. Por isso trabalhámos durante quase dois anos com a filosofia de poupar dinheiro. Quando a ideia de viajar surgiu, já tínhamos um fundo de maneio onde nos apoiar. Durante a viagem, que ainda decorre, todos os dias é uma luta constante em como fazer com que o dinheiro dure mais tempo, mas sem interferir nas necessidades de cada um. É um equilíbrio e cada um tem que encontrar o seu.

Qual, para vocês, o sentido de viagem e o que buscam quando partem?
Sair da zona de conforto, enfrentando medos e o desconhecido. Pode ser uma montanha, atravessar uma metrópole, ou aguentar dia após dia a pedalar sob chuva. Aquilo que é, não é tão importante, mas aquilo que cada um descobre sobre si mesmo, depois de superá-lo. É um cliché, mas com um fundo de verdade. Viajar é dar um passo em frente, em direcção ao desconhecido, em busca da Vida.

Porquê a bicicleta?
Porque a pé, era demasiado lento e não nos passou pela cabeça fazê-lo sem usar o esforço físico como meio de locomoção. E porque gostamos de andar de bicicleta!

Um episódio curto da viagem que destaquem
Fazer campismo selvagem no topo de uma colina, na Sardenha e acordar no dia seguinte às 7h, com o som de um boi a cheirar-nos desconfiado, a centímetros da cara, prestes a carregar sobre a tenda amarela.

O país no qual mais gostaram de pedalar até hoje e porquê?
O país que mais gostamos é sempre aquele em que estamos a pedalar no momento. Porque quando estamos nele, sentimos que fazemos parte dele e toda a nossa atenção está virada para ele. Não fazemos comparações e sentimos saudades de todas as pessoas que conhecemos até agora, durante esta viagem.

O pior e porquê
Temos sorte. Até agora, não temos um país que consideremos o pior. Mas basta olhar durante 10 minutos para a TV para ficar com a ideia de um mundo de países maus.

O que levam na bagagem que achem indispensável?

Alexandre: Os auscultadores, que cospem música durante as travessias nas montanhas e audiobooks durante os longos dias de chuva. O livro, durante os momentos fora da bicicleta em que esperamos por algo. O bloco de notas, para escrever os momentos do dia.
Ana: Um livro para ajudar o cérebro a desligar-se do mundo, ou quando preciso de um momento sozinha. O meu canivete, que dá um jeitaço a toda a hora e me faz lembrar do meu pai e do meu avô. Papel e caneta para deitar cá para fora, quando é muito cá dentro!

Quando regressam, o que mais custa?
Ainda não chegámos a casa, mas consoante os dias, às vezes custa pensar que estamos a voltar.

Próximo destino: onde e quando?
Muitas ideias. Sem data marcada, temos ideias que abrangem desde o mundo inteiro até ao nosso Portugal. Logo se vê...

Consideram-se viciados em viagens ou pessoas que têm prazer em viajar?
Preferimos deixar em aberto do que dizer que somos assim ou assado. Somos só nós.

Que tipo de viajantes são?
Somos só nós. Uns nómadas de bicicleta.

Qual a sensação de ser mulher viajando por esse mundo fora de bicicleta? Reacções, como te olham, o que mais te custa sendo mulher?
É muito boa! Em todos os países senti-me respeitada, sem nenhum tipo de problemas. É com orgulho que vejo mulheres a viajar, sozinhas ou acompanhadas. "Pipi power!":)

A Ana e o Alexandre podem ser acompanhados através do seu blog: www.nomadiclas.blogspot.com

Sem comentários:

Posts mais populares