Preguiça no Paquistão


Cá estamos há 4 dias em Gilgit… Daqui vamos apanhar um autocarro para Islamabad, pois ao que parece, a estrada não é segura… há miúdos que atiram pedras, e até rolam pedregulhos para à estrada, tipo bowling! Ao que parece há roubos e é perigoso acampar de noite. Conhecemos uma pessoa que fez essa estrada, de bicicleta, e ao que parece, está num terrível estado, e confirmou as pedras e pedregulhos e ao que parece, há poucos sorrisos por lá! Ora nós não temos medos de uma boa partida de basebol, não temos medo da má estrada que voltou a partir-me o porta-bagagens, mas o facto de não haver sorrisos…isso não! Queremos caras bonitas e garanto-vos meninas, que aqui há meninos bem vistosos!


Continuamos em Gilgit porque não nos foi permitido sair mais cedo… não pelo facto de andarmos preguiçosos… andamos mas isso é outra história, mas pelo facto da estrada para Islamabad estar cortada. De novo uma pequena avalanche, provocada pelas chuvas. Já temos o bilhete do autocarro nas mãos com nova data.


Até Gilgit, o caminho foi de novo com má estrada, de novo com sobe e desce, o que é terrível quando temos a ideia que será sempre a descer!


- Não sei como o teu porta-bagagens ainda não partiu com esta estrade terrível. – Disse o Rafael bastante admirado ao ver o meu material a portar-se lindamente.

- Isto não parte assim. Da outra vez partiu porque estava a descer em boa estrada e não tive tempo de travar, quando vi o buraco. O impacto foi muito grande, não é como agora.


5 minutos depois, menos, garanto que foi menos, senti a bicicleta a gingar. Capoeira a esta hora é que não. Parei para ter uma pequena conversa com a minha menina e vi que tinha um dói-dói… Não queria acreditar!

- Que foi? – Perguntou o menino que nunca tem nada partido e nem uma pequena dor no estômago.

- Partiu, outra vez… Nem que tenha de levar os sacos pelos dentes, mas esta viagem vai continuar! - E sentei-me.

O Rafael foi pedir ajuda e indicaram-nos um mecânico, ali pertinho. Chegámos e não havia luz. Tivemos de esperar. Eles foram impecáveis! Quais chineses, quais quê! Perceberam à primeira o que queríamos, mesmo depois de terem fumado algo que faz rir muito. Tentaram tudo, mas nada… Não conseguiram realizar a operação mas não nos queriam mandar embora. Queriam à força arranjar solução. Aceitámos todas as possibilidades que tentavam dar mas não sei se foi por causa da “coisa” que fumaram que todas as ideias eram bastantes estranhas…

- Somos portugueses ou não somos? Não sabemos remediar isto?

Lá conseguimos com a ajuda deles, mas ao nosso comando, arranjar forma de remediar a coisa! Saímos de lá com a bicicleta a rolar! Já estava de noite, por isso não nos foi possível fazer os quilómetros que tínhamos programa para esse dia. Os senhores da terra, ajudaram-nos a encontrar um sítio para montar a tenda, mesmo ao lado da polícia!

- Boa noite. – Dissemos com o estômago desconsolado, depois de termos jantado leite com bolachas esmagadas…



- Bom dia! Vai mais leite com bolachas?

Passados alguns quilómetros parámos para comermos uma grande omeleta com vegetais com dois pães e dois sumos de manga por 1 euro! Delícia!

Alguns quilómetros depois estávamos em Gilgit! Continuamos aqui mas é pouco tempo. Continuamos a comer por 1 euro (para os dois) e quando somos doidos, conseguimos comer por 2 ou 3 euros, mais isso já é uma loucura! Menu: 10 chamuças, um pires de batatas fritas, um pires de Pakora e dois chás - 1 euro; Menu de doidos: um pires de grão-de-bico, um pires de espinafres, um pires de arroz, dois pães, um copo de sumo – 2 euros. O menu dos 3 euros, é quando compramos uma bebida de litro e meio e terminamos com um batido de banana para mim e um sumo de manga para o Rafael.

Andamos preguiçosos, é verdade… jogamos ao minsweeper  até não podermos mais e tenho o orgulho de dizer que consegui terminar o jogo! 90 minas! O Rafael continua a tentar… transpira… suspira…

Tenho aproveitado para desenhar. Há muito que não fazia e está a saber-me bem! Ando a treinar para quando chegar a Portugal, expor novos desenhos e vendê-los! O que me dizem?


Jogar, comer, desenhar, internet e pequenos passeios, é esta a nossa vida por aqui! 

4 comentários:

o santareno disse...

Fico sempre feliz ao lêr, as maravilhosas descrições dos países, localidades, contactos que vão tendo, ao longo das vossas noticías chegadas por mail.
As vossas vivências, os ensinamentos que vão colhendo, dão-vos um grau superior a um mestrado qualquer, em viajens ou relações humanas.
FORÇA, FORÇA

Traço disse...

Mas já não bastava o belo fluir da "pena", como agora temos uma artista e "Pêras". Os desenhos estão excelentes! Muitos Parabéns e pedalava leve e certa.
Abreijos.

Modesto

J.F.S. disse...

Olá aventureiros de duas rodas, parabéns pela iniciativa, estou amando ler estas experiências vossas. Caso precisarem de ajuda técnica nas bikes à distância (quem sabe)estou disponivel (sou e.o. mecânico na carcavelos bike. Boas pedaladas acompanhadas de lindas paisagens. Abraço, JFS.

Pipa disse...

Não resisto a comentar! Desta vez o comentário vai para os desenhos da Tanya. Penso que vendê-los era mais uma altamente iniciativa. :D

PipaCunha*

Posts mais populares