Não vejam o CSI

De Pak Chong até à fronteira, foram 5 dias a pedalar… Fizemos 13000 quilómetros e estamos com energia para continuar a somar mais uns tantos. Pedalámos com muito calor, muito sol mas as pessoas deixavam-nos bem-dispostos. Desistimos da monótona estrada e escolhemos uma secundária bem mais agradável.

Tailândia foi uma surpresa para nós. Não nos cansamos de falar da simpatia das pessoas! Tentámos chegar mais perto delas mas não nos foi possível… Fizemos uma paragem em Chok Chai, não porque queríamos lá ficar mas porque as pernas recusavam-se a pedalar mais um quilómetro que fosse. Vimos uma casa com um grande jardim - perfeito para montar a tenda. Fomos até lá e chamámos “oh da casa!”

Um senhor apareceu, fez-nos entrar com as bicicletas e começou a ler o bilhete que temos em tailandês, a explicar a nossa história e o que estávamos ali a pedir. Ficou atrapalhado, sem saber muito bem o que fazer… Falava inglês mas não dizia o que queríamos ouvir, então decidimos sublinhar que seria apenas por uma noite.

- Não sei… Tenho de telefonar primeiro à polícia para explicar que estão cá. Se ficarem cá, tenho 100% de responsabilidade em vocês… Não sei…

- É só por uma noite. – Nunca é de mais sublinhar.

Telefonou à polícia. Não sei o que falaram mas pronto… a polícia ficou informada que estavam dois estrangeiros na cidade.

- Podem ficar neste terreno ao lado que é minha propriedade e tem portão. Ficam seguros.

Arranjámos sítio mas não era bem aquilo que queríamos… Queríamos ter a experiência de estar com uma família tailandesa, de estarmos mais perto deles, mas a hospitalidade aqui é bem diferente daquela que estávamos habituados nos países muçulmanos… Aqui são muitos simpáticos, ajudam, mas abrir a porta de casa… Não é assim tão fácil. Esta foi a primeira tentativa… Pode ter sido apenas má sorte… Ou não, pois já muitas pessoas passaram pelo mesmo.

Montámos a tenda e o senhor continuava com uma cara estranha, como se quisesse ajudar mais, mas havia alguma coisa que o impedia.

- É que eu vejo muito CSI… - Justificou-se.

Explicado! Por favor, desliguem a televisão para não ficarem com medo do vizinho! 
Não voltámos a pedir para montar a tenda. Chegávamos sempre cansados aos sítios e só queríamos estar sozinhos. Escolhemos hotéis baratinhos e muito concorridos. Quartos com uma porta que dá para as traseiras que dá ligação para os outros quartos. Lindo! Os bichinhos eram muitos, as camas tinham sempre uma grande cova no meio mas tínhamos sempre champô, escovas dos dentes – boas para lavar a corrente das bicicletas – sabonetes, toalhas e um pente que já penteou milhares de cabelos…

Camboja está já ali! Estamos a vê-lo ao longe... estamos cada vez mais perto... já temos o carimbo de saída da Tailândia... o "guarda" do Camboja está com os nossos passaportes... e... visto!!! Visto no passaporte!!!

Sem comentários:

Posts mais populares