Laos VS Calgon

Antes de nos passearmos pela mais bela e mais bem conservada cidade do sudeste asiático – a Unesco assim o diz – fomos à procura de um quarto à nossa medida. A rapariga que nos recebeu tinha um enorme sorriso e continuou a sorrir quando lhe sugerimos um novo valor para o quarto em questão. Bom negócio para ambos, já que o hotel estava vazio… 

Ganhámos um amigo com pêlo branco que gostou logo muito de nós, pois tínhamos uns bolinhos fritos que já não conseguíamos olhar sequer para eles. Ele, pouco olhava, engolia quase sem mastigar. Amigo para a vida!

Quarto arranjado, amigos feitos e saímos sem mapa da cidade, sem destino, sem querer procurar ver algo.

- Isto é muito bonito. – Dizia um e continuávamos a caminhar.

- Isto é muito bonito. – Dizia o outro e continuávamos a caminhar.

 Como chegámos já tarde, a noite apareceu num instantinho. É nessa altura que o mercado da noite entra em actividade e é nessa altura que somos enfeitiçados por ele. É tudo para o turista e temos que confessar que tudo atrai! Nós é que temos bons travões, caso contrário, teríamos que andar com dois atrelados cada um, e queria ver quem tinha pernas para tanto peso!

As cores dos tecidos, as luzes, as coisinhas e mais cosinhas, chamam a nossa atenção, mas foi a parte da comida que mais nos surpreendeu e nos fez salivar! Buffet por 1€! Conseguimos reproduzir as pirâmides de Gizé na perfeição!

Luang Prabang é bonito, sim! Não podemos dizer o contrário. É uma cidade onde se pode relaxar, mas sentimos que falta algo… É bonitinho mas… O que faltará? Não sabemos dizer ao certo mas faltam mais espaços para se estar mais próximos dos locais, falta ver mais casas-casas e não casas transformadas em Hotéis… Falta algo, mas gostámos muito!

De volta a Phonsavanh. O condutor era outro e este tinha uns pezinhos de pantufa! Mal sentíamos as curvas. Os nossos corpos já podiam relaxar e lembro-me te ter adormecido e lembro-me de acordar e ver o Rafael a babar-se! Bela viagem! Afinal o caminho pode ser agradável! Tudo depende do motorista.

De volta para os braços das nossas meninas! Que saudades! Estávamos há dois dias no Vietname e estávamos cheios de curiosidade em relação a este novo país, do qual muitos falam mil maravilhas e outros o detestam do fundo do coração! Estaremos em que grupo?

A nossa última noite foi passada no jardim de uma família. Montámos a tenda e esperámos que houvesse mais interação, mais nem sempre o que desejamos, é o que acontece. Simpáticos, não haja dúvida, mas nada mais… Havia uma grande distância entre nós.

Fomos tomar banho ao ar livre, para não variar e, à falta de água, tivemos de a ferver, para podermos cozinhar e beber água sem problemas. Nunca vi tanto calcário! A água que parecia limpa, sem cor e sem odor, mostrou o verdadeiro lado negro! Deixámos a água a ferver durante algum tempo e deixámos a verdade vir ao de cima. Filtrámos com a ajuda do nosso estojo dos óculos, em pano, na esperança que todos os males desaparecessem!

Aconselhamos a viajarem com pastilhas Calgon. Caso contrário, as idas à casa de banho podem tornar-se fatigantes! E se viajarem a dois, assegurem-se que são melhores que o companheiro, a correr!

Subimos tanto nestes dois dias! Mas quando é que isto termina?

O Laos terminou e terminou bem! Gostámos muito e um dia, será para repetir, com mais calma e mais tempo!

Sem comentários:

Posts mais populares