Hoje é o primeiro dia!

“O talento da mente humana para tomar decisões é admirável. O interessante é que com a mesma prontidão que gera a decisão, desenvolve um oceano de premissas para a mesma. O resultado é o início de negociações com as pessoas que confiamos, de forma a justificar a nossa opção. O que procuramos não é aprovação mas sim compreensão. A decisão já está tomada e ninguém nos vai demover. Este passo pode parecer desnecessário, mas a procura da segurança de uma escolha correcta justifica-o. O passo seguinte é preparar os meios necessários para atingir o nosso objectivo.”


, do amigo Hélder

E é neste momento que estou, na fase em que estou já certo e decidido daquilo que quero fazer, num futuro muito próximo, mas à procura de conforto junto daqueles que me são mais próximos. Procuro, junto de familiares, mas também de amigos, conhecidos e pessoas a quem devo algum respeito pelo que já atingiram nas suas vidas profissionais, a ajuda para o segundo passo! Todos têm sido fantásticos, não sei se por gostarem de mim, se por acreditarem que aquilo que digo faz sentido ou se, por outro lado, são também eles sonhadores como eu e olham para mim como uma maneira de concretizarem uma parte dos seus sonhos. Seja o que for, sinto mais força, empenho e entusiasmo neste momento, com toda esta nova ideia de vida, do que em qualquer outro momento destes 30 e tantos anos a olhar o mundo!

O que não quero é estar daqui a muitos anos à espera dum autocarro numa qualquer paragem de um dia cinzento, ou a retirar o aloquete da bicicleta, já ela ferrugenta, de um varandim que já foi prateado e olhar-me no reflexo de uma montra e constatar que toda a minha vida estive num estado constante de adiamento. O que me faz realmente viver, noto mais uma vez ao fim de mais uns quantos anos é viver no limbo, na corda bamba, no não saber se vou ter como pagar as contas de amanhã, no desesperar pelo dia que se segue sabendo que me vai trazer, com toda a certeza, excelentes notícias, na ansiedade do desconhecido. É disto que vou morrer, sei-o, de algum mal do coração. Porém, se assim for, ele vai parar por ter vivido emoções a mais, riscos a mais, tentativas a mais, experiências a mais, ansiedade a mais, conversas a mais, projectos a mais, ideias a mais, sonhos a mais! 
Vai morrer mais MAIS e por isso, morrerei feliz!

Hoje é o primeiro dia!

Como dizia o jornalista do Público que fez a reportagem sobre o festival Fusing, para o qual fomos convidados (2numundo), na Figueira da Foz:




E foi sempre assim e só assim que soube fazer as coisas: pensar sempre que o que penso será impossível de concretizar, para que me dê luta a tentar demonstrar a mim próprio que, afinal, não é tão impossível assim! 

À minha frente, uma montanha para derrubar. O mundo é uma estrada sem fim! – e é frente a esta elevação de granito duro de roer que estou, neste momento, com um sorriso tão convencido da sua força, que não terei qualquer problema em rebentar a montanha toda, nem que seja à dentada!



Mais um carimbo no “passaporte”!

Sem comentários:

Posts mais populares