comentário virou post

uma das pessoas que acompanha o nosso blog, deixou um comentário que, mesmo sem a sua autorização, pois não consigo saber o seu endereço de e-mail, vou publicar como post, pois acho que é para estas mensagens de incentivo, não só para nós, mas para todos, que este foi pensado. obrigado desde já, qrestina, pelo teu olhar sobre esta página!

"Há cerca de 2 anos acompanhei a mesma "decisão indecisa" de um amigo. E, quando leio estas linhas, acredito que poderiam ter sido as suas também.

Conheci-o numa sessão de testes psicotécnicos - todos tentavam puxar os seus galões (licenciatura em gestão na faculdade xpto, erasmus acolá, motivado e com vontade de vencer, etc etc), quando ele, com uma simplicidade brutal, único sem o fato e a gravata, refere que a experiência que mais o marcou foi ter passado uma longa temporada como voluntário no Nepal, ao que se seguiu uma viagem pela Índia.

Dias mais tarde voltámo-nos a cruzar, dado que tínhamos sido seleccionados para o mesmo programa. Fomos colegas durante cerca de 2 anos e meio, altura em que o contrato com a empresa terminava. A empresa era uma dessas de "topo", no sector das TI, que para além dos salários confortáveis apresentava uma série de outros benefícios.

Teve uma proposta para se tornar efectivo. Era surpreendente como a par da angústia que o mundo empresarial lhe causava ele se saia sempre tão bem nas suas responsabilidades diárias. Mas ele sabia que se aceitasse a proposta nunca mais conseguiria seguir o seu sonho de se "libertar" de tudo isto.

Ele sabia que aquele era o momento - mas e o futuro? a estabilidade seria assim tão importante como o resto do mundo queria fazer parecer? e depois, se partisse, o que faria daqui a uns anos? não se iria arrepender?

Resolveu partir para a Índia, por 6 meses. Em Abril deste ano, quase 1 ano depois da partida, trocámos e-mails e dizia-me que, talvez regressasse em Dezembro, mas que nada era certo, que andava ao sabor do vento, como ele gostava, como tem de ser.

É das pessoas mais surpreendentes que conheço. E parece que finalmente encontrou o caminho que o faz feliz. Não me parece arrependido. Nem me parece que deseje voltar.

Tantas vezes nos agarramos a uma falsa estabilidade que não nos enche as medidas e somos infelizes. A sociedade, quem nos rodeia e nos quer bem, faz-nos acreditar que o caminho que devemos seguir deve ser aquela normalidade imposta, porque isso é a tal segurança.

Que o que nos tentam vender não vos esmague... seguir os nossos sonhos é sempre o mais acertado que podemos fazer na vida... apetece-me aproveitar aquele cliché de que a vida não se mede pela quantidade de vezes que respiramos... mas pelas vezes que perdemos o fôlego!

Força e Boa Sorte :)"

arrepio bom...

2 comentários:

qrestina disse...

assim até fico embaraçada... ;)

(mas ainda bem que gostaste)

sara da silva disse...

... :)

Posts mais populares