adiantamento ou atraso

não posso considerar uma má notícia, mas de boa não tem nada também. uma coisa que não estávamos à espera, era de tomar decisões tão antecipadamente em relação à viagem. em relação a mim, é mais do que pacífico. posso sair do trabalho quando quiser, ou manter-me cá até quando quiser. em relação à tanya, a mesma coisa, só que...diferente. não pode sair no mês que quer. ou sai no fim de março, ou no fim de junho. há que escolher. a viagem, que só era para ser iniciada no princípio de junho, fica assim a depender de uma grande decisão: mais cedo ou mais tarde? há várias coisas a pensar, porque podemos ser doidos, mas de inconscientes, temos pouco. sair mais cedo do trabalho do que o previsto, quase dois meses, para ela, reflete-se em duas coisas: menos dinheiro e menos um espectáculo no cv (será que alguém olha para isso?); sair no fim de junho, reflete-se noutras duas: adiar, mais uma vez, a viagem - por um mês que seja - e ir na altura de maior calor, que é julho e agosto, apanhando também, maior frio depois, no centro da europa. em que ficamos? para mim, é-me quase igual. se ficar mais tempo em portugal, não saiu já de guimarães, pois não faz sentido. se sair mais cedo, não vou para beja, pois também não faz sentido ir para lá viver 1 mês. dúvidas. dúvidas. dúvidas. este fim de semana, decide-se tudo. raios.

Sem comentários:

Posts mais populares