agora sim, logroño!

saímos de belorado por volta das 8h, com uma longa viagem pela frente. não sabíamos se chegaríamos a logroño nesse dia ou se ficaríamos pelo meio em alguma povoação que tivesse um albergue. não tínhamos arranjado alojamento para esse dia e por isso sabíamos que obrigatoriamente teríamos de ficar em algum albergue de peregrinos, o mais barato onde se pode dormir. o terreno por estes lados começa a ser muito montanhoso e a paisagem começa por ter algum relevo. o verde perde-se no castanho e cinzento das montanhas e as pernas, habituadas até aí ao planalto, começam a ameaçar ceder a qualquer instante. o cansaço é imediato e não avistar o que vem logo a seguir, torna a viagem mais aliciante! subir torna-se uma constante mas descer logo que chegamos ao topo, por entre pedras e terra batida, com pequenas covas pelo meio, a quase 45km/h, é uma sensação de adrenalina óptima! a escolha do caminho de santiago para seguir caminho, é unânime pois, apesar de sabermos ser mais difícil e demorar mais tempo, faz-nos encontrar pessoas fantásticas pelo meio, além de que é menos monótono que seguir pela estrada de alcatrão! um a seguir ao outro, os obstáculos sucedem-se e ora paramos para conversar com alguém, ora para comer, ora para apenas descansar…o que acontece demasiadas vezes!

aos quarenta e poucos quilómetros, ao avistar uma pequena praça com uma fonte em frente, paramos para comer! uns bancos à sombra – estava um calor insuportável – tornavam o cenário ideal! puxámos do nosso carregador solar oferecido pela loja ovarlink e demos um pouco de carga ao nosso telemóvel. não nos apetecia fazer nada. estava mesmo muito calor. num supermercado perto, comprámos batatas fritas – hum! – e sumo de laranja! umas sandes depois, olhávamos um para o outro tentando que o outro decidisse o que íamos fazer: ficar mais um bocado ou seguir caminho. minutos depois, já em cima das bicicletas, apanhámos uma descida enorme (quando chegámos ao destino, muito mais tarde, demos conta que a tanya, na tal descida, tinha perdido o pacote de sumo e duas maçãs que levava no cesto colocado atrás) e foi o delírio! nestes momentos, só nos apetece gritar e dar ainda mais velocidade! minutos depois, chegávamos a najera e o que vimos, agradou-nos imenso. "ficamos aqui?!" - perguntei! a resposta positiva veio de imediato e de imediato também, pusemo-nos em busca do albergue de peregrinos. qual não foi o nosso espanto quando, chegados a ele, vimos uma fila com mais de 30 pessoas à espera de entrar. "mas o que é isto? não vamos ficar aqui tanto tempo à espera. não é preferível seguir um pouco mais? só faltam 15km para logroño..." e seguimos! a estrada era quase sempre a descer, salvo uma ou outra parte e, quando conseguimos perceber a cidade ao longe, relaxámos um pouco e às 18h, estavamos a entrar num grande parque natural que antecede a cidade. aí decidimos parar um pouco e comer uma frutinha! eis então que a tanya repara num pedaço de um galho enfiado no seu pneu da frente e, sem esperar nem mais um segundo, arranca-o de lá, ouvindo de seguido um monótono...chhhhhhiiiuuu! o primeiro furo estava alcançado!

debaixo dumas árvores, cobertos de melgas e mais tarde de repelente, sujámo-nos um pouco na tentativa conseguida de tapar a buraqueira da sua câmara de ar! mal ou bem, funcionou e ainda não esvaziou desde que foi tapado! ainda nos ficámos um pouco por lá, divertindo-nos com um cão (que saudades dos nossos...) pequeníssimo que corria atrás de toda a gente e que se chamava rambo!

já em direcção à cidade propriamente dita, os 3 últimos quilómetros foram mais que pacíficos mas, à chegada ao albergue, foi-nos informado que estava cheio. os 88 lugares estavam completos. azar. que vamos fazer? ir mais para a frente para viana ou tentar encontrar uma pensão barata onde dormir? a pensão foi a opção escolhida! não queríamos pedalar nem mais um bocado e por 30€, conseguiríamos com certeza um quarto duplo com casa de banho. no dia a seguir, a partir das 21h, teríamos já onde ficar e até lá, pediríamos para guardar as bicicletas no albergue! tudo previsto! em busca da pensão barata, metemo-nos por uma rua apertada, rodeada de pequenas livrarias e, olhando para um lado e para o outro, em busca de quarto, fomos interpelados por um rapaz de cabelo comprido que perguntou se precisávamos de ajuda. que sim, que buscávamos um quarto para uma noite, pois o albergue estava cheio! "podem ficar em minha casa, se quiserem, não há qualquer problema" - "por nós seria fantástico...não há mesmo problema?!" - "não, esperem só uns minutos, pois vou procurar um livro e já volto!".

uma hora depois, já tínhamos tomado um banho bem quente, estavamos num quarto só para nós e tínhamos internet gratuita em toda a casa e claro esta, todo o lar à nossa disposição! brutal! jantámos, dormimos, escrevemos e não saímos de casa nessa noite! a cama tinha um conforto incrível! nem queriamos pensar em acordar no outro dia! que pessoas tão boas que existem!

1 comentário:

Jaime Valente disse...

Fico satisfeito por saber que o carregador solar está a ter utilidade. It works :).
Contudo, isto de fazerem aqui publicidade à loja, mesmo com a melhor das intenções, pode-me trazer problemas: já pensaste, Rafael, se agora de repente todas as almas que estão a pensar fazer uma viagem deste tipo me vêm cá pedir um patrocínio (coisa que aliás vocês não fizeram...)?!?... De um dia para o outro, corro o risco de ficar com a montra vazia :)
Agora a sério: quando cá estiveste e me disseste que "iam fazer uma viagem de bicicleta" fiquei com a ideia de que seria tipo ao Alentejo :). Ainda estive para perguntar, mas lembras-te como foi tudo à pressa... passados uns dias tive conhecimento da dimensão da vossa aventura e fiquei muito contente por vocês (e reconheço que também por não teres vindo trazer o carregador de volta - é porque funcionou bem).
Quando a tua Mãe veio cá para acertar contas, achei que o mínimo que poderia fazer era oferecer-vos o equipamento. No momento, foi a forma mais directa que encontrei de compensar a inveja que sinto de não estar no vosso lugar. E pumba: aproveitei e vinguei-me logo! Não recebi da tua Mãe :)!
Assim, quando regressares, vais ser obrigado a vir cá e pagar tudo com juros... A não ser, é claro, que te comprometas a manter neste blog; até ao fim da viagem; os deliciosos relatos das várias etapas da vossa aventura da mesma forma simples, sentida e na primeira pessoa com que nos tens brindado cada dia que passa :)!!!...
E digo ainda mais: se conseguires ir alimentando o vício que já é procurar aqui por novidades cada dia que passa, durante toda a viagem, pode ser que ainda se arranje um almoço/jantar de boas vindas aquando do vosso regresso. Vegetariano, quente e a fugir das habituais saladas :) Claro que os cães também serão benvindos!!!
Força nessas pernas, continuem com esse espírito e a boa disposição. Bebam tudo o que se passa à vossa volta e comam na liberdade de cada dia que passa (a inveja está outra vez a atacar). Sobretudo, continuem com a vossa linda história de amor. Espero que no final desta aventura ela esteja mais rica, forte e para durar!

Posts mais populares