lille

depois de valenciennes, onde vivemos dias de puro descanso e fartura, saímos para lille. é verdade que a nossa vontade era entrar logo na bélgica mas, assim como aconteceu com o concerto dos deolinda antes, mais uma vez queríamos estar presentes noutro evento e sair de frança mais...ricos! lille chamou-nos a antenção pelo simples motivo da realização nesta cidade, dia 6 de junho deste ano, duma gaypride! nós, que assumidamente somos apoiantes da causa, teríamos que estar presentes e por isso alterámos mais uma vez a rota para que naquele dia, todo aquele mundo de cor, festa e orgulho estivesse à nossa frente! chegámos a lille depois de 85km pedalados e fomos directos para casa do samuel e da marie, sítio onde ficaríamos a dormir duas noites! fomos recebidos muito bem pela marie e depois de dois dedos de conversa, saímos para a rua para conhecer um pouco melhor a cidade. temos de confessar que só nos passeamos pelas ruas e não entramos em nenhum local para ver qualquer exposição, espectáculo, museu...nada! caminhámos e o que vimos, agradou-nos imenso! é uma cidade viva, muito jovem, com uma arquitectura lindíssima e onde sabe bem estar. em frança, no que visitámos, apenas em dois sítios nos aconteceu isto: lille e bordéus! voltados a casa, conhecemos o samuel, um francês apaixonado pela língua portuguesa, que fala perfeitamente! mais tarde, chegavam alguns amigos para um apero (acto que tem como objectivo reunir amigos à volta de pequenos petiscos e algum vinho e onde se conversa pela noite fora, sobre todos os assuntos possíveis e imaginários, sem que nenhum amigo - ao contrário do que é muitas vezes o objectivo em portugal - fique com os copos) e deitámo-nos muito tarde!

no dia seguinte, saímos para a rua pouco depois das 11h, sabendo que o desfile começaria às 14h. à medida que íamos caminhando, íamos ouvindo os preparativos do desfile e quanto mais nos aproximavamos, mais noção tínhamos do que aquilo iria ser. fantástico! as ruas começavam a ganhar cor, muita cor, onde as bandeiras com as 6 cores do arco-íris reinavam! além disso, havia camiões com muita música, muita coisa para vender, bancas de propaganda, de esclarecimento, de sensibilização! havia associações de pais, ong's, voluntários! havia gente de muitas idades, pais e filhos, amigos, velhos, crianças! havia vida, risos, simpatia, amor, partilha, orgulho! havia todo um mundo que, não sendo novo para nós, era-o pela primeira vez daquela forma e nós estavamos lá para usufruir dele e apoiá-lo! o que ao princípio nos parecia ser um desfile com pouca gente, foi ganhando contornos que não queríamos acreditar e, poucas centenas de metros depois de começar, milhares de pessoas tinham-se juntado à festa! e quando dizemos milhares, eram milhares mesmo! o que mais nos impressionou, foi a quantidade de jovens que recusavam assumir uma tendência sexual. não eram hetero, nem homossexuais, nem bissexuais, nem travestis, nem transexuais...eram pessoas que, sendo ainda jovens demais, não se preocupavam com a obrigação estúpida de ter de assumir se preferem este ou aquele e preferem optar por experimentar e decidir. eram às centenas! muitos, acreditamos, como em qualquer desfile, estavam ali porque era engraçado, porque era moda ou porque os amigos estavam e faziam mais festa do que qualquer pessoa. no entanto, a maior parte sabia e queria estar ali e, nessa parte, a grande fatia era do sexo feminino, talvez porque se descubram e desenvolvam muito mais cedo e têm menos complexos que os rapazes. não tinham necessidade de mostrar, de se exibir, de beijar, apalpar ou fazer qualquer outro tipo de demonstração. olhava-se e via-se uma relação e uma decisão! depois de algum tempo caminhando por entre as ruas, de muitas fotos tiradas, de alguns passos de dança, o desfile chegava ao fim, e olhando pela ruas fora, tinha-se a noção da quantidade de pessoas para quem este, como qualquer outro assunto que às vezes se leva a referendo e/ou discussão pública, é um tema que não tem discussão, de tão natural e livre que deve ser. geralmente, quem não quer mudar, não evolui, não progride, não vê em frente, não desenvolve. conservar o presente, é ter medo, é estagnar, é não querer mais e melhor. saímos de lille, com um grande sorriso colorido nos lábios e que agora também nos acompanha nas bicicletas!

4 comentários:

Rodolfo Dégues disse...

Grande Rafa e Tania. É um prazer acompanhar a vossa viagem. Apesar de ainda não ter deixado nenhum comentário, tenho vindo a seguir post a post. Tenho a certeza que está a ser uma viagem inesquecível, cheia de momentos e spots inesquecíveis. E ainda estão só no princípio. Mando-vos um grande abraço e tudo de bom. Boas pedaladas frick e poucos furos...

xistacio disse...

1º o pobo num gosta de se embebudar. o objectivo é deitar sempre tarde e q a noite renda o mais possivel! se estás a ressacar do sumol a gente endente a dica!
2º q eu saiba o arco da iris tem 7 cores! onde é q esses moços puseram a 7ª cor? hã!?
3º à e tal é mt giro`, mas o país q deixaram à 2 meses (e já agora parabens pelo facto) vai continuar sem gayparades, ou prides, ou desfiles, ou reuniões, ou... ou... ou...
enfim... para a proxima experimentem a do soho de londres.

saúdinha, tudo de bom e LEBA O KISPO!!!

até daqui a uns kms!

P.S.- manda uma morada q eu mando uma grade de sumol!

Teresa Calisto disse...

Adorei o vosso relato! Depois de tantos meses na Índia, já sonho com uma viagenzinha a um qualquer paraíso europeu e a França é sempre uma boa aposta. Acho que fizeram uma excelente escolha em adiar a partida e participar no desfile. São estas actividades menos turísticas, que nos permitem experimentar verdadeiramente os locais e ter um sabor mais realista de como se vive e como se é noutros contextos. (Que filosófica que eu estou para uma 6ª à tarde...) Continuação de boas pedaladas!

mars disse...

Olá pedaleiros, fala a marcita...
tenho sido extremamente egoísta.tenho acompanhado o blog e nem um comentário, estou muito ocupada, blá, blá, blá. a verdade é que é pura preguiça. pronto cá vai um comentário que não comenta grande coisa... só mesmo para vos dizer que adoro o blog espero que "não voltem" tão cedo, continuem por aí que eu cá estarei para vos acompanhar...
beijos da marcita

Posts mais populares