erros numa viagem de bicicleta

pensar de novo. Pensar no que se fez no primeiro dia em que tentámos andar de bicicleta.

lembram-se? pensar em como era difícil ficar em pé, tentando uma e outra vez encontrar o ponto de equilíbrio até que, finalmente, horas ou mesmo dias depois, finalmente alguém nos larga e saímos nós, estrada fora!

viajar de bicicleta não é diferente. ok, já sabemos como montar numa bicicleta, mas a vida na estrada pode ser um bocado complicada até termos alguns quilómetros debaixo das rodas, por isso, eis 3 coisas a não fazer.


a pressa

lembrar sempre de uma coisa antes de partirmos para uma viagem de bicicleta: a velocidade e a distância não são os principais objectivos.

relaxar! na estrada, vemos muita gente que passa por a alta velocidade, tentando chegar o mais cedo possível ao destino a que se propuseram, não alterando uma única vez a sua rota. o que acontece? não apreciam a paisagem. não têm qualquer contacto com os locais. não sabem a história. não se interessam pela cultura. e perguntamos então: para que saem do seu país? porque não andam somente às voltas do quarteirão e fazem aquilo como um exercício e não uma viagem? uma aventura deste tipo, tem de ser feita calmamente, porque só assim faz sentido! só assim nos conseguimos divertir e ter prazer!

não se deve levar a coisa ao ponto de odiarmos o que estamos a fazer. se num dia nos apetecer cortar 20 ou 30kms à viagem, porque não queremos mais pedalar nesse momento, porque queremos ler um livro, comer um gelado ou porque conhecemos alguém logo à saída que nos convidou para um café e conversar, aproveitamos! quando se regressa, daremos mais importância a esse momento aproveitado do que aos 70 ou 100kms que fizemos nesse dia!


não comer o suficiente

comer muito durante este tipo de viagem, parece óbvio, mas há imensa gente que, pelo trajecto e a quantidade de quilómetros que quer fazer nesse dia, se esquece deste promenor tão importante. quando começamos, não estamos acostumados a consumir grandes quantidades de calorias. não estamos também acostumados a manter um stock de comida na bicicleta, para o caso de não encontrarmos um supermercado, ou para quando um qualquer sinal no nosso corpo é enviado, dizendo que as reservas de energia estão mesmo no fim.

para piorar a situação, isto faz aumentar a irritabilidade e, quanto mais ignorarmos estes sinais, menos somos capazes de tomar uma decisão racional. quando se viaja com alguém, isto pode criar discussões, indecisões e outros problemas que, não nos apercebendo, são causados pela falta de alimentação.

uma pausa para uma sande, fruta, chocolates ou frutos secos de pelo menos 2 em 2 horas, ajuda na e proporciona o bem estar necessário à continuação da mesma! não é de admirar que se comece a tomar 2 pequenos-almoços, almoço, parar duas vezes para lanchar, jantar e, antes de irmos para a cama, ainda haver espaço para mais comida!

na hora das refeições, comer com vontade e comer bem, é o mais importante! no entanto, ter sempre de reserva massas instantâneas, frutos secos, bolachas e chocolates, é essencial, porque desenrasca sempre em qualquer situação!


ouvindo os “treinadores de bancada”

viajar de bicicleta, continua a ser uma atividade bastante estranha que tende a provocar fortes reações do público em geral. algumas pessoas usam palavras como "incrível" e "inspirador" quando se fala do plano, mas muitos outros, tentam dissuadir.

"nunca fizeste isto antes. o que é que te faz acreditar de que és capaz?" ou “elouqueceste? é uma ideia um bocado arrojada para as tuas capacidades, não achas?” ou “precisas de muito treino. esquece”. depois, há os locais dos países por onde passamos que têm sempre uma opinião acerca dos outros países onde, na maioria das vezes, nunca estiveram. há sempre frases muito famosas como: “nesse país, cuidado” ou “aquilo lá é só terroristas” ou ainda “opá, eu se fosse a vocês não ia. vão ser roubados de certeza” - aliás, antes mesmo de sairmos de portugal, houve uma pessoa dum jornal para o qual escrevemos que nos disse: “uma coisa que tenho a certeza, é que vão ser assaltados. disso tenho a certeza!” - enfim.

para algumas pessoas, pode ser complicado encontrar coragem para sair, quando todos os dias alguém nos atira isto à cara e todos os dias a televisão debita misérias, assaltos, atentados, mortes. mas coloquemos estas perguntas a nós próprios:

  1. será que a pessoa que disse tudo isto, tem experiência em primeira mão com a situação? provavelmente não! então, que a informação entre a 100 e saia a 300!

  2. existe alguma coisa que se possa fazer para reduzir o risco? às vezes, o que dizem, acontece mesmo, mas pode fazer-se muita coisa para o contrariar! se alguém nos diz que existe imenso trânsito e pode ser perigoso, compra-se um espelho e roupas fluorescentes para diminuir a probabilidade de ter um acidente. simples!

  3. será o risco maior do que aquele que se enfrenta no dia-a-dia? trata-se de ver as coisas numa outra perspectiva! o desconhecido sempre parece um pouco mais assustador, mas ficando em casa não há ninguém que nos garanta que é 100% seguro. basta usar o bom senso! todos os dias um novo dia! todos os dias uma diferente abordagem! todos os dias pessoas novas! todos os dias um novo idioma! todos os dias, dias diferentes! se pensarmos positivamente, se formos optimistas, a viagem correrá lindamente!



7 comentários:

Marco Além disse...

Gostei das dicas. É precisamente o que eu sempre pensei. Como sempre achei certas perguntas e afirmações tão absurdas, criei um link "FAQ" no meu blog. Pode ser que ajude a desconstruir essas imagens dos "treinadores de bancada. No meu passeio espero fazer uma media de 100 km mas sem stress. e se não os fizer também não me chateio. um abraço e boas pedaladas

Marco Além
http://euvouparacasadebicicleta.blogspot.com/

MagikPoiZion disse...

Obrigada!

Tomaz disse...

POxa...

Gostei bastante mesmo.. Decidi de viajar pra amanha na ilha Florianopolis para SUL depois LESTE depois NORTE depois OESTE.. mas ouvi comentario meu irmão mais velho.. irritou e disse que sou louuco pra fazer isso.. Aff... que nada.. Louco é quem tem medo de aventurar.. Louco é quem não sabe se cuidar bem... Louco é quem adora dirigir com valocidade alta como ele...

Eu muito pelo contrario.. Não dei bola pra ele, decidi minha viagem para 4 dias na ilha foi minha decisão. Pronto.

:D

Abraços.. tomazbeche@hotmail.com

Anónimo disse...

Que delicia!-como diria o meu grande amigo! - Meu sonho é de sair Brasil a fora com o objetivo de ir até RJ capital daqui do RS. Mas sou mt jovem ainda, qual seria a idade ideal? Pq o que conta mt tb é a segurança.

psic-lógica disse...

Vou mesmo comprar a bicicleta! obrigada por tornarem ainda mais consciente esta minha decisão!

psic-lógica disse...

Vou mesmo comprar a bicicleta!
Obrigada por me contribuírem ainda mais para a minha decisão!

André Barbosa disse...

Obrigado pelas dicas colegas! Viajar de bicicleta é de facto uma aventura e uma experiência incrivel, tenho 18 anos, pratico btt desde os 12 e só aos 17 fiz umas férias de 3 dias de bicicleta do Porto ao Gerês com um amigo meu e adorei a experiência, foi a coisa mais espectacular que eu já fiz com a bicicleta! Estamos a planear ir a Santiago de Compostela este Verão! :)

Posts mais populares