las bardenas reales

fazer o percurso que nos leva até uma das entradas do parque natural las bardenas reales é ter a sensação, pouco a pouco, que estamos a entrar num mundo completamente à parte, que estamos a entrar num deserto, ali mesmo, na península ibérica.

de tudela, uma pequena cidade na comunidade autónoma de navarra, até à entrada de las bardenas reales, uns quinze quilómetros nos separam. este parque natural, com mais de 42000 hectares, que a unesco classificou como reserva da biosfera em 7 de novembro de 2000, é um semideserto e caso único em toda a europa. localiza-se na bacia do ebro e a sua elevação varia entre os 280 e 660 metros. é impressionante a visão que se tem quando se entra por um dos caminhos permitidos a automóveis neste grande espaço. a erosão provocada ao longo de milhares de anos pelo vento e pela água, criou uma superfície que em tudo se assemelha com aquela que conhecemos da lua.

constituída maioritariamente por argila, gesso e arenito, o que se vê é um deserto, de quando em quando “acordado” por uma massa rochosa que forma um pico ou então, bem ao longe, elevações em forma de planalto que se prolongam por quilómetros. nesta região é pouca a chuva que cai e os verões são muito quentes e os invernos muito frios, ambos muito secos. as chuvas torrenciais acontecem frequentemente, fazendo com que a água se infiltre no solo e escave pequenas grutas por baixo de alguns dos símbolos do parque, como é o caso do castellodetierra, a maior atracção.

este espaço, que continua a ser cultivado por diversos agricultores e no qual se podem ver também enormes rebanhos de ovelhas que percorrem esta imensidão em busca de pastagens, é dividido em 3 zonas distintas: bardenas brancas, bardenas negras e o planalto.

as bardenas brancas, são a área central. extensas planícies e desfiladeiros profundos por onde correm pequenos rios e que deve o seu nome ao sal que se estende por toda a superfície, facto que demonstra a presença de enormes quantidades de gesso no solo.

as bardenas negras, na parte sudoeste do parque natural, são essencialmente compostas de elevações em forma de mesa, de diferentes altitudes, que são cortados por rios e são cobertas com vegetação.

o planalto é toda uma superfície que se eleva do chão a cem metros de altura e na qual se faz o cultivo de cereais.

na história, podemos encontrar sinais de presença humana desde a idade do bronze e do ferro, embora nenhum povo se tenha instalado alguma vez dentro dos limites do parque, face às características deste. mesmo os romanos, nunca utilizaram este espaço, servindo-se dele como limitação entre o que era território cristão e muçulmano. foi espaço de caça de antigos reis e a agricultura e a pastorícia sempre foram actividades presentes na bardenas.

além de todas as actividades que este espaço sempre proporcionou, também permitia que os fora-da-lei se refugiassem aqui como forma de fugir à justiça. o mais conhecido foi sanchicorrota, um bandido do século XV, de nome verdadeiro sancho rota, que espalhava o medo por todas as populações em volta. em 1452 porém, o rei juan II organizou uma “caçada” com mais de 200 homens que tinha como objectivo a prisão de sanchicorrota. este, ao ver-se cercado, suicidou-se. o seu corpo foi exposto em várias povoações em redor do parque. o seu esconderijo era um pico arenoso que tem, actualmente, o seu nome e que é artificial. conta a lenda que este contratou uma série de pessoas para o construírem e que depois os assassinou a todos para que estes nunca revelassem onde se encontrava. o banditismo teve o seu fim no século XIX.

o mais polémico espaço de todo este parque natural reserva da biosfera, é um território de 2200 hectares, conhecidos como polígono de tiro, arrendado à força aérea espanhola que nele faz exercícios de combate, dizem, com bombas sem carga explosiva. este arrendamento teve início em 1951, por um período de vinte e cinco anos, tendo sido renovado por mais vinte e cinco, até 2001 e posteriormente até 2008. o que é um facto, é que a força aérea continua dentro das bardenas reales e todos os anos se efectua uma manifestação de protesto em relação a esta situação, promovida por diferentes grupos sociais e partidos políticos.

las bardenas reales são atravessadas por uma série de percursos para se fazer a pé, de automóvel ou de bicicleta, marcados com pequenas placas e com três cores diferentes, que permitem às pessoas conhecerem um pouco mais e se isolarem de todos os circuitos mais turísticos que passam, basicamente, pelo pico sanchicorrota e o castellodetierra.

o castellodetierra, é um pico arenoso que em tudo se assemelha com uma torre de areia que tem, no seu topo, uma meia dúzia de placas rochosas, equilibrando-se sem se perceber como! o solo onde assenta é perfurado por pequenas grutas que fazem com que, todos os anos, este castelo perca um pouco mais do seu vigor e imponência. existe um grupo numa das redes sociais da internet que lembra as pessoas o interesse da sua preservação mas que, realistas, lembram também que tirar uma fotografia em frente ao mesmo é essencial, pois é um monumento que, em poucos anos, pode desaparecer.

Sem comentários:

Posts mais populares